Vazamento no Golfo pode chegar a 60 mil barris por dia, diz nova estimativa

No Congresso americano, petroleiras são acusadas de estarem despreparadas para acidentes.

Alessandra Corrêa, BBC

15 Junho 2010 | 20h33

Uma nova estimativa divulgada nesta terça-feira pelo governo americano calcula que o vazamento de petróleo no Golfo do México seja de entre 35 mil e 60 mil barris por dia.

O anúncio foi feito pelos secretários americanos de Energia, Steven Chu, e do Interior, Ken Salazar, e pelo US Geological Survey (o serviço geológico dos Estados Unidos) e é baseado em análises feitas por cientistas do governo e independentes com base em dados coletados no fim de semana.

"Trabalhando em conjunto, cientistas do governo dos Estados Unidos e independentes estimam que o volume mais provável do fluxo de petróleo é hoje de entre 35 mil e 60 mil barris por dia", diz um comunicado.

O novo cálculo é divulgado poucos dias depois de a estimativa sobre o vazamento ter sido revisada de 20 mil para 40 mil barris por dia, na última quinta-feira.

Obama

A divulgação também ocorre poucas horas antes de um pronunciamento à nação no qual o presidente Barack Obama deverá detalhar os próximos passos para enfrentar o vazamento no Golfo do México, considerado o pior desastre ambiental da história americana.

O pronunciamento será transmitido ao vivo pela TV e será o primeiro feito por Obama no Salão Oval da Casa Branca, usado pelos presidentes americanos em momentos considerados de grande importância para o país.

Segundo analistas, o presidente deverá aproveitar a ocasião para pressionar por uma nova legislação que privilegie formas de energia limpa e diminua a dependência americana de petróleo.

Obama passou os últimos dois dias visitando a região afetada pelo vazamento, que começou em 20 de abril, quando uma plataforma operada pela petroleira britânica BP explodiu e afundou, matando 11 funcionários.

Desde então, várias tentativas de conter o fluxo de petróleo fracassaram.

A mais recente técnica usada pela BP, um dispositivo colocado sobre o poço danificado, a 1,5 mil metros de profundidade, consegue até agora coletar apenas cerca de 18 mil barris por dia.

A expectativa é de que a empresa consiga capturar cerca de 53 mil barris por dia até o fim do mês.

Congresso

Nesta terça-feira, presidentes da BP e de outras grandes petroleiras que atuam nos Estados Unidos foram questionados pelo Congresso americano.

Durante a audiência, os congressistas afirmaram que as outras petroleiras estão tão despreparadas quanto a BP para lidar com um vazamento de petróleo como o do Golfo do México.

A empresa britânica vem sofrendo crescente pressão do governo americano para pagar compensações financeiras às pessoas afetadas pelo vazamento.

A BP afirma que já gastou US$ 1,6 bilhão (cerca de R$ 2,9 bilhões) desde o início do vazamento. Nesta quarta-feira, a cúpula da empresa se reúne com Obama.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.