AP
AP

Vazamento no Golfo do México causa primeira baixa no Governo Obama

Diretor do Departamento do Interior dos Estados Unidos pediu renúncia nesta segunda-feira

Efe

18 Maio 2010 | 11h32

O diretor de programas de prospecção de petróleo e gás do Departamento do Interior dos Estados Unidos, Chris Oynes, renunciou nesta segunda-feira, 17, a seu cargo, na primeira baixa no Governo do presidente Barack Obama causada pelo vazamento de petróleo no Golfo do México.

 

Veja também:

linkPoços de petróleo são fechados voluntariamente no Golfo

linkMaré negra se aproxima da principal corrente do Golfo do México

linkBP diz que conseguiu conter parte do vazamento no Golfo do México

 

A renúncia foi comunicada pelo próprio Oynes em uma mensagem eletrônica dirigida a todos os empregados do Programa de Administração de Projetos Minerais e de Energia Marítimos.

 

A baixa acontece em meio a uma investigação que o Congresso dos EUA faz sobre o vazamento de petróleo causado pela explosão de uma plataforma da British Petroleum no Golfo do México no dia 20 de abril.

 

O derrame ameaça os hábitats marinho e terrestre, assim como as indústrias pesqueiras e turísticas dos estados da Louisiana, Alabama, Mississipi e Louisiana.

 

O escritório de Oynes se encarrega das análises ambientais e das salvaguardas operativas dos projetos de prospecção petrolífera e, segundo seus críticos, se mostrava negligente demais na concessão.

 

Um deles, o republicano Darrell Iss, membro do Comitê de Supervisão e Reforma do Governo na Câmara de Representantes, disse que a renúncia de Oynes é um "bom começo".

 

Ele acrescentou que durante mais de uma década seu escritório se caracterizou pela corrupção e a má administração. "Isto não foi obra de uma só pessoa, mas a culminação de uma fratura burocrática. A renúncia de uma pessoa é um bom começo", mas esse escritório necessita uma reforma integral e exaustiva, acrescentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.