Vaticano prende ex-arcebispo acusado de pedofilia

O Vaticano informou nesta terça-feira que prendeu um ex-arcebispo acusado de pagar por sexo com crianças enquanto ele era embaixador papal na República Dominicana.

REUTERS

23 Setembro 2014 | 17h44

Jozef Wesolowski, um polonês, está sob prisão domiciliar dentro da cidade-Estado, disse o Vaticano em um comunicado.

Wesolowski é a figura mais proeminente da Igreja a ser preso desde Paolo Gabriele, ex-mordomo papal condenado em 2012 por roubo e vazamento de documentos privados do ex-papa Bento 16.

Ao contrário de Gabriele, Wesolowski não ficou na prisão do Vaticano (quartos ligados a um tribunal), mas foi colocado sob prisão domiciliar em um apartamento no Vaticano por motivos médicos.

Wesolowski foi deposto por um tribunal do Vaticano neste ano e está aguardando julgamento por acusações criminais. Ele estava vivendo livremente em Roma, e vítimas de abuso sexual haviam pedido sua prisão, expressando preocupação de que ele poderia fugir.

O Vaticano disse que a prisão refletiu os desejos do papa Francisco de "que esse caso grave e delicado seja tratado sem demora, com o rigor justo e necessário".

(Reportagem de Philip Pullella)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAOARCEBISPOPRESO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.