AP
AP

Unicef lança programa para melhorar acesso à água e saneamento

'WASH' tem como objetivo transmitir às crianças nas escolas hábitos de higiene e saúde

Efe

06 Abril 2010 | 12h45

O Fundo da ONU para a Infância (Unicef) lançou um programa para melhorar o acesso à água, o saneamento e a educação para a higiene durante a conferência internacional para a ajuda humanitária e o desenvolvimento realizado nesta terça-feira, 6, em Dubai.

 

Esta iniciativa faz parte de um plano de ação da agência da ONU que deve ser desenvolvido em escolas de países em desenvolvimento já que "cada criança tem direito à água, ao saneamento e a uma educação para a higiene, assim como as instalações sanitárias" adequadas, indicou Unicef mediante um comunicado.

 

"Em muitos países este é um grande desafio para os políticos, as escolas e as comunidades", afirmou o organismo, que detalhou que, segundo uma recente pesquisa realizada em 60 países em desenvolvimento, mais de 50% das escolas não tem acesso a água potável e a instalações sanitárias adequadas.

 

Diante dessa situação, a ONU decidiu lançar este plano, chamado de "WASH", um verbo que em inglês que significa "lavar".

 

O objetivo é que as crianças adquiram esses hábitos na escola e que depois as mesmas se transformem em agentes multiplicadores e de mudança de seus pais, familiares e comunidades, sustentou Unicef, que acredita que dessa maneira conseguira melhorar a saúde e o desenvolvimento.

 

A iniciativa procura aumentar os recursos e comprometer às autoridades desses países e suas comunidades em construir e manter instalações higiênicas e de acesso à água, além de iniciar este programa nas escolas para que as crianças aprendam sobre higiene e saneamento.

 

Segundo Unicef, entre as crianças menores de 14 anos desses países ocorre 20% das mortes e das incapacidades atribuídas à falta de água potável, o saneamento inadequado e à higiene insuficiente.

Mais conteúdo sobre:
Unicef agua potavel WASH ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.