Umidade relativa do ar fica abaixo de 30% no noroeste de SP

A umidade relativa do ar ficou abaixo dos 50% na tarde de segunda-feira (11) em quatro regiões do estado de São Paulo. Dos 13 pontos de medição do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o índice mais baixo foi registrado na região de Votuporanga (noroeste do estado): 29%. Na região de Presidente Prudente (oeste), os medidores marcaram 30%. O ar seco também foi sentido na capital (40%) e em Avaré, no sul do estado (42%).

Agência Brasil

12 Julho 2011 | 13h24

Segundo os padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS), índices de umidade relativa do ar entre 20% e 30% devem ser considerados estado de atenção; entre 12% e 20%, estado de alerta; e inferior a 12%, alerta máximo.

De acordo com a meteorologista do Inmet Helena Balbino, a umidade do ar mais alta na capital é efeito da proximidade com o oceano, onde a umidade medida ficou em 74%. A baixa umidade em outras regiões do estado, por sua vez, é causada por um sistema de alta pressão comum nesta época do ano. “O ar desce da alta atmosfera e é mais frio e seco. De noite melhora, porque esfria e não há tantas nuvens”.

A baixa umidade aliada ao inverno mais intenso deste ano é responsável pelo aumento do atendimento nos prontos-socorros. No Hospital Infantil Menino Jesus, por exemplo, o número de atendimentos de crianças com doenças respiratórias cresce pelo menos 30% no inverno. O diretor do hospital, Antônio Carlos Madeira, explica que a secura do ar é só um dos fatores que explicam o alto número de atendimentos. “Há outras causas, como a circulação dos vírus da gripe e de resfriados, a tendência das pessoas se manterem mais juntas”.

O otorrinolaringologista do Hospital das Clínicas João Melo, disse que “alguns tipos de rinite e asma acabam ficando mais graves nessa época do ano”. Para evitar ou amenizar os problemas, Melo alerta para a necessidade de ingerir bastante água (para manter as mucosas umedecidas), lavar as roupas de inverno que estavam guardadas antes de usá-las e evitar permanecer em ambientes fechados (ou permitir a circulação de ar). “Além da ingestão de água, vale a pena usar soro fisiológico no nariz, para que ele consiga maior eficiência na limpeza do ar que estamos respirando”, completou. Ele recomendou ainda que as pessoas evitem fazer exercícios físicos em dias nos quais a umidade relativa do ar está muita baixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.