Óleo em praias do Nordeste preocupa setor de turismo; Petrobrás diz não ser dona do produto

Primeiras ocorrências foram registradas no dia 2 - oito dos nove Estados da região já foram atingidos; autoridades ambientais investigam origem do poluente

Vinícius Brito, especial para o Estado, José Maria Tomazela, Bruna Toni e Thiago Lasco - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

RECIFE E SÃO PAULO - Um vazamento de petróleo cru se espalha por ao menos 105 pontos do litoral de Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe (8 dos 9 Estados do Nordeste). O poluente foi identificado em uma faixa de mais de 2 mil quilômetros da costa brasileira. O governo federal afirma que análises da Petrobrás já apontaram ser petróleo cru, de origem desconhecida e de tipo não produzido no Brasil.

Manchas de óleo apareceram no litoral de Sergipe, nos municípios de Pacatuba e Pirambu Foto: Adema/Governo de Sergipe

O setor turístico afirma que ainda não há uma onda de adiamentos ou desistências, mas que o avanço da mancha pelo litoral preocupa. Entre as regiões afetadas, estão destinos bastante procurados, como João Pessoa, Ponta Negra (praia de Natal), Porto de Galinhas (na Grande Recife) e a Praia do Futuro, no Ceará. 

Em nota, a Petrobrás disse que  ter verificado "que o material encontrado não é produzido e nem comercializado pela companhia". Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a análise feita por Marinha e Petrobrás "apontou que a substância é petróleo cru, ou seja, não se origina de nenhum derivado de óleo".  Conforme o órgão, a substância se trata de hidrocarboneto, conhecido como piche, e é a mesma em todos os pontos analisados. O Ibama avalia ser um acidente de extensão não vista antes, pela quantidade de praias onde a mancha de óleo já foi verificada em um período curto. 

O Ibama recolhe amostras para identificar o responsável pelo vazamento. As primeiras manchas foram identificadas no dia 2. Desde então, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão do governo federal, e a Marinha também investigam a situação. Até agora, o consenso dos órgãos ambientais é de que o problema tenha sido causado por uma embarcação no alto-mar. Segundo o governo sergipano, dois barris - um deles aberto - foram achados na costa do Estado, mas as autoridades não sabem se eles têm relação com a mancha. 

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema), informou que o resíduo foi classificado como de Classe D, segundo o Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), e Classe 1, pelo padrão NBR (Norma Técnica Brasileira).  Por isso, recomendou que a coleta do produto seja feita com ferramentas específicas para evitar contato direto com banhistas. A medida é "preventiva contra irritações e processos alérgicos", indica o documento sobre o piche, que provoca reações adversas no corpo, especialmente na superfície da mão, nos olhos e na boca. Não há evidência de contaminação de peixes ou crustáceos, mas a orientação é para que as autoridades locais de vigilância sanitária avaliem o pescado capturado nas áreas afetadas.

O Ibama já constatou a morte de seis tartarugas-marinhas - outras três sobreviveram - e uma ave, mas a fauna atingida pode ser maior. Se o responsável pelo despejo for identificado, mesmo que seja estrangeiro, poderá ser multado em até R$ 50 milhões, com base na Lei 9.605/1988, que pune condutas lesivas ao meio ambiente. O culpado por poluir o oceano terá, ainda, de responder pelo crime ambiental. 

Com causa indefinida até o momento, um vazamento de petróleo cru compromete mais de 1.500 quilômetros do litoral do Nordeste. Foto: Ibama

No Ceará, após sobrevoo pelo litoral por cinco horas nesta quinta, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente informou que não identificou mais manchas de óleo numa faixa até 12 quilômetros distante da costa. Para a pasta, isso significa que a mancha de óleo se dissipou no oceano ou foi levada pela corrente marinha. Equipes também têm feito observações por terra. 

Sujeira chega a cartões-postais

O óleo já deixa o setor turístico em alerta. "Como você vai atrair visitantes para uma região que está sendo afetada por uma substância química?", lamenta o presidente da Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo, Elzário Pereira. "O turista é atraído principalmente pelo litoral do Nordeste. Apesar de outros atrativos, o sol e a praia são os mais fortes. Certamente acontecerão cancelamentos de viagens." 

Já Ruth Avelino, presidente da Empresa Paraibana de Turismo, ligada ao governo do Estado, acredita que os efeitos não serão tão grandes. "João Pessoa e Baía da Traição, no Litoral Norte, foi onde houve algum impacto. As pessoas começaram a perceber porque iam à praia e pisavam no que a gente chama de piche, que deixava o pé preto", conta. "Faz um mês que isso começou a aparecer. Mas é algo bem pontual. Não acredito que vai impactar, porque foi muito pouco, em algumas praias só."

Mancha de óleo atinge praias do Nordeste

1 | 7 De acordo com o Ibama, o número de animais afetados com o vazamento subiu para dez – nove tartarugas e uma ave – dos quais sete estão mortos. Ainda segundo o Ibama, por enquanto, não há contaminação de peixes e crustáceos ao longo do litoral nordestino. Foto: Ibama
2 | 7 A lista de locais atingidos pela substância química não para de crescer e nesta quinta-feira, 26, espalhava-se por pelo menos 45 praias e 99 pontos nos Estados de Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. Foto: Ibama
3 | 7 As primeiras manchas foram identificadas no dia 2, desde então, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Marinha do Brasil investigam a situação. Foto: Ibama
4 | 7 Com causa indefinida até o momento, um vazamento de petróleo cru compromete mais de 1.500 quilômetros do litoral do Nordeste. Foto: Ibama
5 | 7 A Marinha enviou material para o Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, no Rio de Janeiro, mas não havia resultados até esta quinta-feira. Foto: Ibama
6 | 7 Sergipe. Os responsáveis pelo vazamento de petróleo no litoral nordestino não foram identificados. Foto: Adema/Governo de Sergipe
7 | 7 Manchas de óleo apareceram no litoral de Sergipe, nos municípios de Pacatuba e Pirambu. Foto: Adema/Governo de Sergipe

Marcos Barbosa, proprietário de um restaurante no município de Pirambu, em Sergipe, onde o óleo chegou esta semana, afirma que já houve redução no movimento de turistas no local. "Desde quando começou a aparecer a mancha, reduzimos em 70% o fluxo de turistas. Se isso permanecer, até o fim de semana podemos perder até 90% dos turistas", projeta.

Funcionária de um hotel na Barra de São Miguel, na Grande Maceió, outra área afetada, Deyse Marinho indica que a insatisfação de clientes com a situação está preocupando a rede hoteleira. "O pessoal está reclamando muito no hotel e está sendo constante a reclamação de turistas indo à praia. A expectativa é de que esse tipo de acidente não ocorra mais e que sejam sanados os problemas."  

Sergipe. Os responsáveis pelo vazamento de petróleo no litoral nordestino não foram identificados Foto: Adema/Governo de Sergipe

O secretário de Turismo e Comunicação de Sergipe, Sales Neto, afirmou que ainda é cedo para fazer um diagnóstico, mas que certamente vai "trazer um prejuízo" se as manchas chegarem com intensidade às praias. A CVC, uma das principais companhias do setor turístico, informou monitorar e orientar suas equipes sobre cancelamentos ou questionamentos de clientes, mas disse até agora não ter chegado nada a eles. 

As 13 praias mais desejadas por brasileiros

1 | 14 Que muitos brasileiros gostam de praia não é novidade. Mas quais são os destinos litorâneos mais cobiçados por nós? O Flip Flop, relatório encomendado pelo site Expedia.com.br ao centro de pesquisas mundial Lonergan Researches, traz exatamente esta resposta e outras curiosidades sobre comportamento e preferências de (e no) litoral. A pesquisa também fala sobre o perfil de praieiros em outras partes da América do Sul, da América do Norte, Europa, Ásia e Austrália/Nova Zelândia e foi feita com 15.363 viajantes de mais de 18 anos em 17 países. Então, quais seriam suas apostas para as praias queridinhas dos brasileiros? Confira a seguir o que mostra o relatório  Foto: Adriana Moreira/Estadão
2 | 14 A praia que você viu na foto anterior, ou melhor, o arquipélago é o mesmo que este que você vê agora. Whitsundays, na Austrália, ocupa a 13ª colocação entre as praias mais desejadas por brasileiros (5%). São 74 ilhas (a da foto é a Hamilton), a maioria inabitada, cercadas pela Grande Barreira de Corais e pelo Mar de Corais. Curiosidade sobre os brasileiros na praia: começamos a nos preparar para férias na praia com 42 dias de antecedência, em média. Foto: Adriana Moreira/Estadão
3 | 14 O 12º lugar ficou também com a Austrália, dessa vez com a praia Bondi, em Sydney. É uma das mais famosas praias australianas e uma das mais animadas também, com vários eventos no ano - fica a 10 quilômetros da cidade. Curiosidade sobre os brasileiros na praia: começamos a arrumar a mala 3 dias antes da viagem (cuidado apenas com o excesso de peso, já que despachar bagagens é um serviço pago à parte). Foto: Daniel Munoz/Reuters
4 | 14 Já ouviu falar sobre Seminyak, a área praeira mais badalada de Bali, na Indonésia? Ela ocupa a 11ª colocação no ranking das praias mais cobiçadas por brasileiros (6%). Nela estão concentrados luxuosos resorts, restaurantes com chefs conceituados e boutiques e lojas fashionistas. Curiosidade sobre os brasileiros: levar mais do que o necessário na praia é uma realidade para 75% de nós, principalmente quando se trata de protetor solar e óculos de sol. Foto: Beawiharta/Reuters
5 | 14 A Califórnia aparece na lista de praias dos brasileiros com Huntington, cidade praieira do litoral do Condado de Orange, ao sul de Los Angeles. Foram 7% que a colocaram no 10º lugar. Tem 14 quilômetros de praia e ótimas ondas para o surfe (tem até um museu dedicado ao esporte). Curiosidades sobre os brasileiros: dois terços investem tempo comprando trajes de banho para as férias, gastando em média R$ 240. Foto: Lucy Nicholson/Reuters
6 | 14 Águas azuis translúcidas e grãos de areia de tom rosado. Esta é a Baía de Horseshoe, no sul de Bermuda, a 9ª praia mais desejada por brasileiros (9%). Boa para a família toda, incluindo os pequenos. Curiosidades sobre os brasileiros na praia: as atividades que mais fazem na praia são caminhar (70%), tomar sol (60%) e nadar (60%).   Foto: Ann Spurling/NYT
7 | 14 Se há um destino de luxo nesta lista, este lugar é Hamptons, conjunto de vilas luxuosas em Nova York, na 8ª colocação (11%). E luxo atrai nomes famosos e milionários, entre eles Madonna, Steven Spielberg e Paris Hilton. Outra coisa que faz sua fama: foi cenário de séries como Revenge. Curiosidades sobre os brasileiros: a cada 10 de nós, 3 costumam consumir bebida alcóolica na praia, perdendo apenas para os mexicanos.  Foto: SuperStock
8 | 14 Tenerife é a maior ilha das Canárias e tem dois aeroportos, inclusive, um no sul e outro no norte. O destino espanhol ocupa o 7º lugar na lista das praias dos sonhos dos brasileiros (13%). Tem clima ameno o ano todo e sua principal praia é Las Americas. Curiosidade sobre os brasileiros: 90% dizem que relaxar é o maior benefício de férias na praia, seguido de sair da rotina (80%). Foto: Laura Leon/NYT
9 | 14 A 6ª colocação (14%) ficou com Amalfi, uma antiga república marítima italiana que, por isso, é tanto ótima para relaxar na areia como para visitar construções históricas da Itália, como a Duomo di Sant'Andrea, catedral do século 9. Curiosidades sobre os brasileiros: para 75% é importante que o destino de praia tenha uma vida noturna movimentada.  Foto: Gianni Cipriano/NYT
10 | 14 O México não poderia deixar de aparecer nesta lista de praias, claro. E é Playa del Carmen, ao sul de Cancún, a melhor representante do litoral do país para a maioria dos entrevistados brasileiros (15%). Segundo o especialista em viagens Ricardo Freire, do site Viaje na Viagem, Playa é o "Arraial d'Ajuda" de Cancún. Curiosidades sobre os brasileiros: apenas um a cada quatro acha apropriado ficar nu na praia, o que dá uma média de 25% contra 30% da média mundial.  Foto: Fernanda Yoneya/Estadão
11 | 14 Brasileiros gostam também e muito de Brasil: Copacabana ocupa a 4ª posição desta lista. A praia do Rio de Janeiro atrai viajantes de todas as partes do País e sempre está cheia de estrangeiros. Suas águas de ondas, seu calçadão icônico, os bares e restaurantes de sua orla, os eventos que lotam suas areias, o cenário de morros que a cerca... Tem muita coisa para curtir por ali, afinal. Curiosidades sobre os brasileiros: os destinos mais populares dentro do Brasil são o Rio de Janeiro (30%), Salvador (35%) e Florianópolis (15%).  Foto: Riotur
12 | 14 Paradise é a mais famosa praia de Mykonos, na Grécia, e ocupa a 3ª colocação na lista de praias cobiçadas. Não é para menos: bem movimentada, além de linda, é ótima para quem quer bastante agito (aqueles brasileiros que gostam da vida noturna, por exemplo, vão se encontrar nela). Curiosidades sobre os brasileiros: entre as nossas maiores preocupações em viagens ao litoral estão: a qualidade do hotel escolhido (75%), os assaltos (70%) e os gastos com comida, bebida e souvenirs (65%).  Foto: SuperStock
13 | 14 Quem viaja ao Havaí não pode deixar de conhecer Honolulu e seu principal bairro/praia: Waikiki. O destino está na vice-liderança das praias mais desejadas por brasileiros (35%) e atrai turistas variados, entre eles os surfistas. Ali estão concentrados os maiores e melhores hotéis e restaurantes. Mais um atrativo para os fãs: foi onde nasceu o cantor Bruno Mars. Curiosidades sobre os brasileiros: entre as coisas que mais nos irritam na praia, estão: quem deixa sujeira (80%), quem joga areia para todos os lados (60%), quem escuta música alta (55%). Foto: Marco Garcia/NYT
14 | 14 Finalmente o primeiríssimo lugar da lista: Ibiza, na Espanha (40%). Principal ilha do arquipélago das Ilhas Baleares, condiz com as preferências dos brasileiros, já que possui vida noturna agitadíssima, com festas e boates que atraem milhões de turistas todos os anos. Mas a beleza das suas praias, algumas paradisíacas, também garantem o glamour do destino. Curiosidades sobre os brasileiros: somos os mais atraentes banhistas do mundo segundo nós mesmos e os segundos mais atraentes segundo todos os entrevistados da pesquisa, incluindo os estrangeiros (perdemos apenas para os australianos).   Foto: Enrique Calvo/Reuters

É importante não tomar banho nem comer nas praias afetadas, diz professora

Para a professora Mônica Costa, do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco, a melhor solução é manter distância do produto, isolando as praias até conseguirem informações mais complexas sobre a substância. A fim de preservar a vida e a saúde das pessoas, é importante não tomar banho, pescar ou comer nas praias afetadas, diz ela.

A Petrobrás descartou a hipótese de a substância ter sido produzida ou comercializada pela companhia, mas afirmou que está cooperando para a limpeza das praias. Em nota, o Ibama disse que mais de 100 pessoas trabalham na limpeza das praias durante a semana.

Veja as praias do Nordeste afetadas pelo vazamento de petróleo:

Praias afetadas

Veja a lista de praias do Nordeste atingidas pelo vazamento de petróleo

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato