Amanda Perobelli / Estadão
Amanda Perobelli / Estadão

Tulipa Ruiz e Marcelo Jeneci abordam sustentabilidade e política em show

Auge da programação musical da Virada Sustentável no sábado, apresentação teve manifestações e chamada à responsabilidade ambiental

Juliana Tiraboschi, Especial para o Estado

27 Agosto 2017 | 09h11

O primeiro dia de atividades da Virada Sustentável concentradas no Parque do Ibirapuera foi marcado por atividades em família e muita música. O auge da programação musical foi o show de Tulipa Ruiz e Marcelo Jeneci. Os músicos compuseram uma canção em 2009, “Dia a Dia, Lado a Lado”, e desde então se apresentam juntos ocasionalmente.

"Fizemos a música e, anos depois, as pessoas não tinham esquecido dela", disse Tulipa ao Estado. "Esse show é em respeito a ela". "A gente já fez esse show várias vezes antes e já temos uma estrada, então as músicas vão ficando mais maduras, estamos nesse momento de desfrutar o repertório um do outro."

Os artistas tocaram músicas de seus repertórios, como “Efêmera”, “Só Sei Dançar com Você” e “É”, de Tulipa; e “A Vida é Bélica” e “Felicidade”, de Jeneci. O público se empolgou mais quando os dois entoaram sua criação em conjunto. Durante o show, Tulipa e Jeneci falaram sobre sustentabilidade e a responsabilidade de cada um, e chamaram o público a fazerem sua parte, plantando hortas ou andando de bicicleta, por exemplo.

“Somos terráqueos, está mais do que na hora de nos conectarmos com a Mãe Terra. Estamos todos aqui pisando no mesmo chão da mudança”, disse o artista. Jeneci também lembrou que uma vida mais saudável passa pela boa convivência em comunidade. “Se as pessoas se cumprimentassem mais já seria bom. Às vezes o cara brinca com o cachorro do vizinho mas nem olha para a cara do outro."

“Se a gente não ficar ligado nisso, não temos saída. Temos que ter responsabilidade com o que produzimos, com como nos alimentamos”, disse Tulipa ao Estado. “O show foi um barato, estava um dia lindo, as pessoas chegarem cedo, quando chegando já havia um astral instalado”, ela contou. 

Ao final da apresentação, parte da plateia começou a entoar gritos de “Fora Temer”. Jeneci sentou no teclado e emendou uma melodia ao som do grito “Ai / Ai, ai, ai / Ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai / , se empurrar o Temer cai”. 

Mais música. O sábado da Virada também teve apresentações do projeto Reggae Little Lions, da banda Leões de Israel, que foi acompanhada por famílias com crianças pequenas. O grupo toca versões de músicas para os pequenos no ritmo jamaicano, como “Hakuna Matata”, tema de O Rei Leão, e “Amigo Estou Aqui”, de Toy Story. 

À tarde o parque recebeu o Praticatatum, orquestra formada por crianças e adolescentes que tem como objetivo desenvolver a cidadania e as habilidades artísticas e intelectuais por meio da música. Depois, o Bangalafumenga animou os participantes da Virada com sua fusão de ritmos e temas como “Vamos fugir”, de Gilberto Gil, “Nossa Gente (Avisa lá), Olodum, “Sonífera Ilha”, Titãs e “Do Leme ao Pontal” (Tim Maia). 

Além das atrações musicais, os participantes curtiram sessões de yoga e meditação, brincadeiras para crianças, como o Jogo Ecocidadão, que ensina sobre sustentabilidade, e também puderam ler livros na ocupação literária do projeto “Biblioteca na Praça”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.