Tubarões e raias correm risco de extinção no Atlântico

Estas espécies foram classificadas como 'sob ameaça' ou 'vulneráveis'; animais ameaçados chegam a 26%

Efe

10 Novembro 2008 | 14h34

Um relatório divulgado pelas entidades Shark Alliance e Conservation International mostra que cerca de 26% de tubarões e raias do Oceano Atlântico correm risco de extinção.   Estas espécies foram classificadas como "sob ameaça" ou "vulneráveis". No Atlântico nordeste, este número chega a 26%, contra os 18% registrados contando todo o planeta.   Além disso, 7% das espécies dessa região tiveram sua situação qualificada de "perigo crítico", enquanto outros 7% estão "em perigo" e 12%, "vulneráveis".   Claude Gibson, autora do relatório, disse que a pesca é a principal responsável por estes problemas.   "A União Européia (UE) impôs limites para a pesca, mas a norma abrange somente quatro espécies encontradas da região", disse o estudo.   As entidades afirmaram que, nas próximas semanas, a UE terá várias oportunidades de melhorar a situação de tubarões e raias naquela área, já que vão ser realizadas reuniões com representantes do setor de pesca.

Mais conteúdo sobre:
tubarões meio ambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.