Tormenta Agatha deixa 13 mortos em passagem por América Central

A tormenta tropical Agatha provocou no sábado a morte de 12 pessoas na Guatemala e de uma em El Salvador, antes de perder força e deixar um rastro de chuvas torrenciais.

HERBERT HERNÁNDEZ, REUTERS

30 Maio 2010 | 10h06

Agatha foi a primeira tormenta da temporada 2010, na fronteira entre Guatemala e México, mas poucas horas depois foi rebaixada para depressão tropical.

A Guatemala, que já estava em alerta pela erupção do vulcão Pacaya, é o país mais afetado até agora pela Agatha, mas o sul do México e El Salvador registraram também alguns estragos.

As chuvas causaram um desmoronamento no município de Alomolonga, a cerca de 200 quilômetros da capital guatemalteca, soterrando a casa de uma família de quatro pessoas.

David de León, chefe de informação da Coordenadora Nacional para Redução de Desastres de Guatemala, confirmou a morte de outros quatro menores e quatro adultos na capital, e informou sobre 11 desaparecidos.

"Estamos diante de uma emergência séria", afirmou o presidente da Guatemala, Alvaro Colom, em uma mensagem transmitida por rádio e TV. "Faço um chamado à comunidade internacional e à população para que colaborem com as equipes de socorro para evitar tragédias maiores."

Em El Salvador, um homem de 78 anos morreu após ser arrastado pela correnteza, quando tentava atravessar uma rua inundada, disse à Reuters o governador do Estado de Cuscatlán, Walter Navarrete.

Mais conteúdo sobre:
CLIMA GUATEMALA TORMENTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.