Território para pastagens dobrou nas últimas décadas, mostra IBGE

No mesmo período estudado, área de pastagens naturais caiu pela metade

Gabriela Moreira e Felipe Werneck, Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2010 | 10h41

RIO DE JANEIRO - Em 36 anos (de 1970 a 2006), o território usado para pastagens plantadas aumentou duas vezes e meia. As pastagens já existentes, chamadas naturais, caíram 53,4%, no mesmo período.

 

É o que divulgou nesta quarta-feira, 1º, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em sua pesquisa "Indicadores de Desenvolvimento Sustentável", referente ao ano de 2010.

 

De acordo com a publicação, a redução das pastagens naturais e o incremento nas pastagens plantadas indicam uma intensificação da pecuária brasileira, especialmente nas Regiões Sul e Sudeste.

 

Veja também:

link IBGE revela que cobertura original do Cerrado foi reduzida pela metade 

link Área total desmatada da Amazônia já chega a 15%, diz IBGE

link Concentração de ozônio cresce em áreas urbanas

Ainda segundo os indicadores, 39% do território brasileiro é ocupado por estabelecimentos agropecuários.  Entretanto, o porcentual de terras usadas por pastagens e lavouras é de 26,5%, o que significa cerca de um quarto do território nacional. Também estão incluídas neste dado o uso da terra com matas plantadas. Em 36 anos, elas cresceram de 0,2% para 0,6%, mas ainda não chegam a 1% do total do território nacional.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEárea de pastagemdesmatamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.