Temporada atípica de furacões intriga cientistas

A julgar pelas 13 tempestades registradasdesde o início da temporada de furacões no Atlântico, trata-sede um ano relativamente agitado. Mas, se o critério forqualquer outro, como o número de dias em que havia furacõessobre o Atlântico, então 2007 é um ano surpreendentementepacato. Especialistas previam uma temporada acima da média porcausa da temperatura elevada na superfície do Atlântico,mantendo a tendência natural registrada nas últimas décadas deintensificação das tempestades, somando-se ao surgimento dofenômeno La Niña no Pacífico. Muitas ondas tropicais, que costumam prenunciar tempestadestropicais, surgiram no Atlântico nas semanas mais agitadas datemporada, entre setembro e o começo de outubro, e oitotempestades tropicais dignas de nome se formaram em setembro,igualando o recorde daquele mês. Mas, exceto pelo Félix, furacão que atingiu a AméricaCentral em 4 de setembro com força máxima, a maioria dastempestades foi excepcionalmente fraca ou breve, o que fez comque setembro registrasse apenas 3,5 dias com furacão. Uma conceituada equipe de especialistas em furacões daUniversidade Estadual do Colorado havia previsto 20 dias comfuracões em setembro no Atlântico. As tempestades deste ano causaram relativamente poucosdanos e vítimas, especialmente em comparação com 2005, quando ofuracão Katrina devastou Nova Orleans, o Wilma atingiu obalneário mexicano de Cancún e a Flórida, e o Rita castigou aárea da divisa entre Texas e Louisiana. A principal razão para os poucos dias de furacões neste anoé a forte ocorrência de "wind shear" verticais -- a variação navelocidade do vento em diferentes altitudes, o que "rasga" astempestades ainda em sua formação, segundo os especialistas. Os cientistas estão intrigados. O resfriamento periódico dasuperfície marinha no leste do Pacífico equatorial, fenômenoconhecido como La Niña, deveria reduzir o "wind shear" sobre oAtlântico. "É como todo o resto com furacões: de vez em quando, oscientistas se põem a coçar a cabeça", disse Jeff Masters,co-fundador do site Weather Underground.

MICHAEL CHRISTIE, REUTERS

10 de outubro de 2007 | 19h08

Tudo o que sabemos sobre:
CLIMAFURACOESESTRANHOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.