Tempestade Olga mata 38 no Caribe

A descoberta dos corpos de 12haitianos afogados numa fazenda na República Dominicana elevoupara pelo menos 38 o número de mortos pela tempestade tropicalOlga, disseram autoridades na sexta-feira. Os corpos foram achados perto de Castañuelas, localidadepróxima à fronteira com o Haiti. "Achamos que os haitianos nãotinham documentos e se esconderam quando determinamos adesocupação das áreas inundadas. Eles se afogaram", disse JuanNúñez, funcionário da Defesa Civil local. A Olga se dissipou numa massa de temporais na noite dequarta-feira, depois de matar uma mulher e um menino de 3 anosno Haiti. A tempestade também provocou deslizamentos quecausaram a morte de um homem em Porto Rico. Pelo menos 23 pessoas morreram nesta semana quando o rioYaque del Norte inundou parte de Santiago, a segunda maiorcidade do país, 175 quilômetros ao norte de Santo Domingo, acapital. A enchente cedeu na sexta-feira, permitindo que cerca de 35mil pessoas voltassem para suas casas. A inundação destruiucerca de 10 mil hectares de bananais, provocando prejuízos de40 milhões de dólares às exportações, segundo o Ministério daAgricultura. Essa foi a segunda grande tempestade em menos de um mês naRepública Dominicana. No final de outubro, Noel matou pelomenos 89 pessoas, deixou 42 desaparecidos e causou milhões dedólares em prejuízos na destruição de estradas, lavouras esistemas elétricos e hídricos. A 15. tempestade tropical do ano se formou na segunda-feiranas ilhas Virgens, dez dias depois do final oficial datemporada de furacões do Atlântico Norte e Caribe (maio anovembro). Tempestades tropicais e furacões se alimentam daságuas quentes do mar, e por isso são raros em dezembro.

MANUEL JIMENEZ, REUTERS

14 de dezembro de 2007 | 17h24

Tudo o que sabemos sobre:
CLIMAOLGAMATA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.