Tempestade Katia deve virar furacão sobre o Atlântico

A tempestade tropical Katia deve se transformar em um furacão sobre o oceano Atlântico nesta quarta-feira. Outras tempestades no oeste do Caribe também estão se dirigindo para a península de Yucatán, no México, disseram meteorologistas.

REUTERS

31 Agosto 2011 | 15h29

Katia apresentava ventos sustentados de 100 quilômetros por hora e deve se tornar o segundo furacão da temporada do Atlântico, que vai de junho a novembro, caso os ventos cheguem a 119 quilômetros por hora.

"O aumento está previsto dentro de um ou dois dias e o Katia provavelmente vai se tornar um furacão hoje (quarta)", disseram os meteorologistas do Centro Nacional de Furacões norte-americano, em Miami.

Está previsto que ele vai se tornar um grande furacão com ventos de mais de 178 quilômetros por hora no domingo, mas ainda é muito cedo para dizer se representará alguma ameaça em terra.

Ao meio-dia, no horário de Brasília, o Katia situava-se a cerca de 1.765 quilômetros a oeste das ilhas de Cabo Verde. Ele se movia rapidamente em direção oeste-noroeste e a previsão era de que virasse para o noroeste em dois dias num trajeto no qual se manteria distante das ilhas do Caribe.

O furacão Irene atingiu a Costa Leste norte-americana no fim de semana e as autoridades que fiscalizam o Atlântico norte-americano estão de olho no Katia para ver qual caminho ele toma.

Modelos de computador mostram o Katia se aproximando da ilha de Bermuda em cerca de uma semana. Vários modelos indicaram um trajeto para o norte, longe da Costa Leste norte-americana.

A temporada de furacões do Atlântico em geral traz 11 ou 12 tempestades que recebem nomes. O Katia já é o 11o e a temporada ainda está na metade, indicando que essa deve ser bastante movimentada.

As empresas de energia que têm operações de petróleo e gás natural no Golfo do México mantêm a atenção sobre uma série de tempestades no noroeste do mar do Caribe.

Os meteorologistas afirmaram que há apenas 10 por cento de risco de que elas se transformem em um ciclone tropical nos próximos dois dias, embora a chance aumente depois que elas se movam sobre a península de Yucatán e entrem no Golfo do México.

(Reportagem de Jane Sutton)

Mais conteúdo sobre:
CLIMA KATIA FURACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.