Tempestade Grace avança no Atlântico, mas poupa Grã-Bretanha

A tempestade tropical Grace avança nesta segunda-feira sobre o nordeste do Atlântico, na direção das ilhas britânicas, mas deve perder força e ser absorvida por uma frente fria na costa da Irlanda na manhã de terça-feira, segundo o Centro Nacional de Furacões (CNF) dos Estados Unidos.

REUTERS

05 Outubro 2009 | 18h58

Muito longe dali, a sudoeste, outro sistema tropical se encaminha para o leste do Caribe, e o CNF considera que há 30 a 50 por cento de chance de que vire um ciclone nas próximas 48 horas.

Grace é a sétima tempestade a receber um nome na temporada de furacões do Atlântico em 2009. Ela se formou bem a nordeste do oceano e tem ventos de quase 100 quilômetros por hora, segundo o CNF.

Às 12h (hora de Brasília), localizava-se 925 quilômetros a sudoeste de Cork, na Irlanda.

Jeff Masters, veterano meteorologista do instituto Weather Underground, qualificou o surgimento do Grace como uma anomalia, já que nunca uma tempestade tropical se formara tão a nordeste no Atlântico desde o início das observações por satélite, na década de 1960.

Enquanto isso, os mercados energéticos acompanham com atenção o possível percurso do sistema tropical localizado 1.520 quilômetros a leste das ilhas de Barlavento, com chances medianas de se tornar um ciclone. Ele avança para oeste-noroeste, e alguns modelos informatizados indicam que nos próximos dias poderia entrar no Caribe ao sul de Porto Rico.

A temporada de 2009 tem sido tranquila, com sete tempestades até agora, sendo que duas delas --Bill e Fred-- se tornaram furacões, mas sem ameaçar seriamente locais populosos ou instalações petrolíferas.

(Reportagem de Pascal Fletcher e Scott DiSavino)

Mais conteúdo sobre:
CLIMA TEMPESTADE GRACE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.