Xinhua/Lin Yiguang
Xinhua/Lin Yiguang

Televisão ajuda ursa panda a se curar de depressão em zoológico da China

Contra solidão, tela com imagens de outros animais foi colocada no recinto de Sijia

EFE

05 Maio 2014 | 20h13

PEQUIM - Uma ursa panda em um zoológico da cidade chinesa de Kunming, no sul do país, se recuperou da depressão que sofria graças a uma televisão que os cuidadores colocaram em sua toca. A tela aliviou a solidão que sentia, informou nesta segunda-feira, 5, o jornal China Daily em sua versão digital.

A ursa, chamada Sijia, de quase 8 anos, começou a apresentar um comportamento estranho há 20 dias, quando outra panda que vivia com ela por mais de 5 anos, Meiqian, foi levada pelo zoológico de volta à reserva natural de onde provinha. "Começou a ignorar os cuidadores e rejeitava a comida, não queria nem mesmo os bolos, seu alimento favorito", relatou um dos responsáveis por cuidar de Sijia, Wang Guanqin.

Diante disso, os responsáveis pelo zoológico decidiram seguir as sugestões de alguns visitantes e colocar no recinto de Sijia uma grande tela de televisão plana onde eram mostradas durante horas imagens de outros ursos panda.

Desde o primeiro momento, Sijia se sentiu atraída pela tela e começou a se alimentar seis vezes por dia. Além disso, no fim de semana passado, saiu de seu isolamento voluntário e se mostrou sem timidez diante dos turistas.

Sijia, Meiqian e uma terceira ursa panda, Qianqian, chegaram ao zoológico de Kunming em 2008, pouco depois que a reserva de onde vieram foi afetada por um terremoto. O acidente levou alguns animais a serem transportados para outras regiões da China a fim de que se recuperassem do trauma.

Qianqian voltou em 2012 à reserva, na província central chinesa de Sichuan (hábitat natural dos pandas), e Meiqian a seguiu em março para que ambas tentassem encontrar companheiros machos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.