Tartaruga marinha deixará o cativeiro após nove anos

Dylan vinha sendo cuidada por seres humanos desde que foi encontrada em 1998, um filhote recém-saído do ovo

AP,

30 Junho 2008 | 15h06

Pesando 68 quilos e forte o bastante para que seis homens fossem necessários para tirá-la de seu tanque de água salgada, Dylan, a tartaruga marinha, foi libertada depois de nove anos em cativeiro. Ela passou por um check-up veterinário final antes de ser solta.   A libertação de Dylan vinha sendo planejada há mais de um ano. A tartaruga já havia deixado seu lar no Georgia Aquarium em maio de 2007, para viver no Centro de Tartarugas Marinhas Gigantes de Jekyll Island, onde foi treinada para viver na natureza.   Cientistas esperam que, uma vez no mar, Dylan só volte a ser vista em terra firme quando começar a pôr ovos, dentro de duas décadas.   Dylan vinha sendo cuidada por seres humanos desde que foi encontrada numa praia em 1998, um filhote recém-saído do ovo e deixado para trás pelos irmãos.   Desde 2005 que Dylan vinha dando sinais de insatisfação com o cativeiro, tentando morder tratadores e outras tartarugas. Diferentemente da maioria das tartarugas reabilitadas pelos especialistas de Jekyll island, Dylan não precisou se recuperar de uma doença ou ferimento. O maior desafio foi ensiná-la a alimentar-se.   Ela estava acostumada a uma ração de peixe moído, camarão e lula, congelados em blocos. Ela fugiu, assustada, na primeira vez que um caranguejo vivo foi colocado em seu tanque. Os tratadores ensinaram-na a quebrar as cascas de caranguejos mortos, e depois ela se habituou a matar e comer os animais.

Mais conteúdo sobre:
tartaruga marinha dylan

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.