Tarso admite ausência do Estado na chegada das tropas ao Pará

Ministro anuncia criação de postos contra transporte ilegal de madeira; Polícia Federal permanecerá na área

Felipe Werneck, de O Estado de S. Paulo,

25 de fevereiro de 2008 | 21h03

O ministro da Justiça, Tarso Genro, admitiu nesta segunda-feira, 25, que havia "de certa forma um vácuo da presença do Estado", ao comentar a chegada de 146 homens da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal no Pará, a pedido da governadora Ana Júlia Carepa. Segundo ele, a PF irá permanecer na área e a intenção é criar de "10 a 12" postos permanentes para "estrangular" o transporte ilegal de madeira.  Veja também:Força federal chega a Tailândia para combater desmatamentoCom PMs nas ruas, madeira começa a sair do PA sem resistênciaProtesto leva Força Nacional ao Pará "Lastimavelmente é uma atividade econômica que se comunica com a subsistência", declarou o ministro. Tarso esteve nesta segunda-feira, 25, no Rio para um seminário que reuniu secretários de Segurança do País.  O secretário do Pará, Geraldo Araújo, disse que até a ocasião menos de 10% das 140 serrarias de Tailândia,  a 240 quilômetros de Belém, haviam sido fiscalizadas. Segundo ele, além dos reforço policial também chegaram ao Estado 24 fiscais do Ibama. "O crime não compensa em lugar nenhum. O que a gente quer é chamar todo mundo para trabalhar na legalidade", disse Araújo. O secretário tem a expectativa de apreender 50 mil metros cúbicos de madeira até o fim da operação. Até esta segunda-feira, 25, segundo ele, haviam sido apreendidos 13 mil metros cúbicos. Na manhã desta segunda-feira, 25, chegou ao município de Tailândia, interior do Pará, o comboio com 300 homens da Força Nacional, da Polícia Federal e do Ibama, para dar início à operação Arco de Fogo, de contenção do desmatamento da Amazônia.  A operação se estenderá, futuramente, a outros Estados da Amazônia Legal, com o apoio de 800 homens da PF e do Ibama.  Na semana passada, em uma operação inicial de apreensão de madeiras extraídas irregularmente em Tailândia, houve reação da população local. Foram autuadas 7 serrarias e apreendidos mais de 13 mil metros cúbicos de madeira ilegal.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeira apreendidaTailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.