Divulgação/Thai Customs Department
Divulgação/Thai Customs Department

Tailândia apreende duas toneladas de marfim de elefantes

Carga ilegal, a maior já confiscada no país, teria um valor aproximado de US$ 3,6 mi no mercado negro

Efe,

25 Fevereiro 2010 | 10h48

Os serviços alfandegários da Tailândia apreenderam duas toneladas de marfim de elefantes africanos, a maior carga ilegal de presas já confiscado na história do país, informaram nesta quinta-feira, 25, fontes oficiais.

 

O carregamento foi apreendido na noite de quarta-feira, no aeroporto internacional de Bangcoc. As presas estavam escondidas em caixas de componentes de telefones celulares com destino a Laos, segundo Seree Thaijongrak, porta-voz do Departamento de Alfândegas da Tailândia.

 

O homem que tentou recolher as presas foi preso. A carga teria um valor aproximado de 120 milhões de bat (US$ 3,6 milhões) no mercado negro, acrescentou Thaijongrak.

 

Em junho do ano passado, a organização Traffic denunciou que a Tailândia recebe a maior parte do mercado ilegal de marfim da Ásia, apesar das promessas das autoridades para evitar o tráfico.

 

A Traffic também assinala que Bangcoc se transformou em um centro internacional para a venda ilegal de marfim, com dezenas de lojas que oferecem produtos fabricados a partir do material e importam ilegalmente presas do Mianmar, país vizinho.

 

Embora não existam estatísticas precisas, calcula-se que na Tailândia vivem cerca de 2.500 exemplares de elefante asiático selvagem e 2.000 domesticados.

 

O comércio de marfim está oficialmente proibido desde 1989, sob a Convenção das Nações Unidas para a Proteção de Espécies, e ajudou a recuperar as povoações de elefantes em muitas nações africanas onde eles estavam à beira da extinção.

Mais conteúdo sobre:
Tailandia apreensao marfim elefantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.