Idealizadora e curadora da feira de design contemporâneo Paralela Gift, Marisa Ota conversou com o Estado sobre design, sustentabilidade e mercado. Confira a entrevista abaixo.

24 de agosto de 2010 | 23h03

 

Como se comporta o mercado de design sustentantável no Brasil?

 

A preocupação com o tema é grande, mas ainda não é a ideal.  Ainda é difícil encontrar no Brasil produtos ecológicos de qualidade.

 

A questão está na agenda dos designers?

 

Sim, esta já não é uma preocupação e sim uma condição, um item essencial no projeto.

 

 

Como o design ajuda a desenhar o impacto ambiental de um produto?

 

O designer, ao adotar uma postura favorável ao meio ambiente e ao consumo consciente, se torna um agente transformador de novos padrões de consumo, sejam eles duráveis ou efêmeros.

 

Como surgiu a ideia da parceria da Paralela com a Lyptus? Como foi este projeto?

 

Ao propor o projeto Lyptus+ Paralela nossa idéia foi promover o design como ferramenta para negócios sustentáveis com foco em processos industriais. Tivemos uma receptividade enorme por parte deles: a Lyptus já exerce este importante papel ao se encaixar nas normas de manejo florestal internacionais. Só não tinha esta visibilidade no mercado de design. Para isso, convidamos designers  brasileiros reconhecidos em suas áreas por suas competências em contemplar diversos olhares na produção de objetos.  Ao utilizar a menor quantidade possível de recursos materiais e energéticos, satisfazendo as necessidades de consumo de forma amigável e respeitosa ao meio ambiente, a Paralela criou um importante exercício pelo qual é possível de se fazer design/negócios com respeito ao meio ambiente. E o resultado é bacana. Foi muito interessante e rico o processo de aprendizado, sobre todas as técnicas empreendidas, do plantio ao corte, o manejo ... Eles têm técnicas internacionais inéditas, que ninguém no Brasil tem. Foram investidos U$ 50 milhões neste know-how.

 

Qual o seu papel no projeto Lyptus + Paralela?

 

Nosso papel foi o de curadoria, convidando os melhores designers para criarem com a Lyptus. Havia uma resistência ao trabalho com madeira ecológica mas, à medida que o projeto se desenvolvia, desapareceu. A Lyptus é bonita, tem uma cor roseada e é de fácil manuseio.

 

A Paralela busca trazer sempre expositores com um trabalho eco-friendly e preocupação social. O mercado está pronto para isso?

 

Já se caminhou muito e esta visão já se fortaleceu, mas aqui no Brasil ainda existem dificuldades, pois falta conhecimento e informação. O designer brasileiro ainda não tem o hábito deste trabalho, falta o exercício. É só fazendo que vamos descobrir as dificuldades e facilidades. A parceria com a Lyptus foi um sucesso, tivemos muitos designers interessados, e a divulgação dos trabalhos se estendeu a lojistas  e produtores, que ficaram encantados.

 

ALICE LOBO - Especial para O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.