Sumiço de plástico dos oceanos intriga ambientalistas

Ao longo do estudo, mais de 64.000 pedaços de plástico foram recolhidos e 6.100 áreas foram estudadas

Associated Press

19 de agosto de 2010 | 17h17

Pedaços de plástico coletados do mar durante o estudo. Giora Proskurowski/AP

 

A quantidade de lixo plástico nos oceanos não parece estar crescendo, e os ambientalistas estão intrigados.

 

Um estudo realizado ao longo de 22 anos indica que a quantidade de plástico encurralado num lixão flutuante do Oceano Atlântico parou de crescer.

 

"Sabemos que a produção global de plástico cresceu substancialmente no mesmo período" e que o descarte também aumentou, disse Kara  Lavender Law, da Associação de Educação Marítima dos EUA.

 

"Se há mais lixo plástico, é difícil acreditar que mais desse lixo não esteja indo parar no oceano. Existe plástico perdido lá fora", disse ela.

 

Ao longo do estudo, mais de 64.000 pedaços de plástico foram recolhidos e 6.100 áreas foram estudadas em busca de amostras, informam Law e colegas na edição online da revista científica Science

Pesquisadores preocupam-se com o plástico dos mares porque ele pode pôr em perigo aves marinhas, tartarugas e outros animais que podem engolir ou ficar presos no material.

 

Um campo de lixo plástico flutuante também foi descoberto no Oceano Pacífico.

 

Embora os pesquisadores tenham visto variações na quantidade de plástico de um ano para o outro, na média do período não houve aumento significativo.

Tudo o que sabemos sobre:
lixooceanoplásticopoluição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.