STJ proíbe método cruel para sacrifício de animais

Município utilizava câmara de gás para sacrificar cães e gatos apreendidos; TJ-MG sugere injeção letal

AE, Agência Estado

11 Setembro 2009 | 10h34

Os centros de controle de zoonoses deverão utilizar métodos que amenizem ou inibam o sofrimento dos animais a serem sacrificados por razões de saúde pública. A decisão é da Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O resultado surgiu do julgamento de um recurso da prefeitura de Belo Horizonte contra decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG). O município utilizava câmara de gás para sacrificar cães e gatos apreendidos na rua e diminuir a transmissão de raiva e leishmaniose. O TJ-MG sugere injeção letal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
animais zoonoses sacrifício STJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.