Antonio Cruz/ABr
Antonio Cruz/ABr

Servidores do meio ambiente entregam cargos comissionados em protesto

Objetivo da manifestação é pressionar o governo por conta da falta de negociações com a categoria

Agência Brasil

10 Maio 2010 | 15h02

BRASÍLIA - Os servidores federais do meio ambiente, Instituto Chico Mendes e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), fizeram nesta segunda-feira, 10, em frente ao Parque Nacional da Água Mineral, em Brasília, um protesto para pressionar o governo a negociar com a categoria. Eles entregaram os cargos comissionados e as funções fiscais ambientais.

 

Durante a manhã, mais de 30 servidores do Distrito Federal haviam assinado a entrega das funções comissionadas. No fim do dia, será contabilizado o número exato de funcionários que pediram exonerações em todo o país.

 

Em seguida, o grupo seguiu para as margens da BR-020 (que liga Brasília a Fortaleza) com faixas e apitos em sinal de protesto.

 

Para o presidente da Associação dos Servidores do Ibama (Assibama) Nacional, Jonas Moraes Corrêa, o objetivo da manifestação é pressionar o governo por conta da falta de negociações plausíveis à categoria.

 

"O governo não quer avançar com as reivindicações, por isso os servidores têm adotado essa medida extrema. Não há a menor condição de atuar em áreas de risco, sem que haja uma gratificação condizente ao trabalho realizado, já que são áreas de conflito agrário e em alguns casos, locais que nem a polícia federal atua."

 

A analista ambiental do Instituto Chico Mendes Maria Goretti explica que o protesto de entregar os cargos é uma medida de repúdio. A servidora já trabalhou quatro anos numa reserva extrativista na Amazônia e passou por dificuldades de apoio às atividades.

 

"A falta de infraestrutura e apoio institucional dificultam o trabalho dos servidores nessas áreas de risco. Dentro da carreira federal, somos a área mais desvalorizada. Esse protesto hoje é uma forma de propor mudanças nesse quadro."

 

Para a presidente da Asibama-DF, Lindalva Ferreira, a desvalorização da categoria tem causado a saída de servidores, que prestam concurso para outros órgãos. "Se houvesse uma preocupação do governo em valorizar estes profissionais essa evasão não aconteceria."

 

Como desdobramento dessa manifestação, está marcado para esta terça-feira um novo protesto em frente ao ministério do Meio Ambiente onde será entregue à ministra Izabella Teixeira a lista dos servidores que pediram a desvinculação dos cargos.

 

Em greve desde o dia 7 de abril, os servidores reivindicam dentre outros pontos negociar a reestruturação da carreira de especialista em meio ambiente e a criação de gratificações a servidores colocados para atuar em áreas de risco.

Mais conteúdo sobre:
servidores meio ambiente protesto Ibama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.