Senadores dos EUA apresentam projeto de nova lei do clima

Projeto foi modificado após vazamento de petróleo no Golfo do México.

Alessandra Corrêa, BBC

12 Maio 2010 | 20h45

Depois de meses de debates, o Senado americano apresentou sua proposta de lei do clima nesta quarta-feira, no momento em que o país tenta evitar um desastre ambiental de grandes proporções no Golfo do México, onde um vazamento de petróleo iniciado no mês passado permanece sem solução.

O projeto dos senadores John Kerry (democrata de Massachusetts) e Joe Lieberman (independente de Connecticut) tem o objetivo de reduzir a dependência do país de petróleo estrangeiro e combater o aquecimento global.

O texto estabelece como meta reduzir as emissões de carbono em 17% até 2020 e em 80% até 2050, tendo como base os níveis de 2005.

Também prevê incentivos financeiros para o desenvolvimento de energia nuclear e tecnologia de carvão limpo.

Mudança

Um dos principais pontos do projeto, porém, teve de ser modificado depois do acidente na plataforma Deepwater Horizon, que explodiu e afundou no mês passado, provocando um vazamento que já despejou 15 milhões de litros de petróleo no Golfo do México.

A lei previa o incentivo ao aumento da exploração de petróleo em alto-mar. Depois do acidente, os autores mudaram o texto para permitir que os Estados possam vetar a exploração de petróleo a menos de cem quilômetros de sua costa, caso haja suspeita de risco de dano ambiental ou econômico.

Apesar das mudanças de última hora, o futuro da lei no Senado ainda é incerto, e o projeto precisará de apoio republicano para ser aprovado.

A Câmara dos Representantes já votou sua própria versão de lei ambiental.

Obama

Em um comunicado divulgado pela Casa Branca, o presidente Barack Obama manifestou seu apoio ao projeto e pediu que os senadores aprovem a lei neste ano.

Obama disse que a nova legislação deverá colocar os Estados Unidos "no caminho de uma economia de energia limpa" e ao mesmo tempo "reduzirá a dependência de petróleo estrangeiro".

"Os desafios que nós enfrentamos - sublinhados pela imensa tragédia no Golfo do México - são motivo para redobrar nossos esforços em reformar as políticas energéticas de nossa nação", disse Obama.

Nesta quarta-feira, a petroleira britânica British Petroleum (BP), responsável pela plataforma que explodiu no Golfo do México, posicionou uma cúpula de aço próxima ao local do vazamento, em uma nova tentativa de resolver o problema.

Na semana passada, a tentativa de conter o vazamento com um funil gigante não teve sucesso.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.