Sem poupar elogios a Marina, Lula chega a compará-la a Pelé

Na posse do novo ministro do Meio Ambiente, presidente disse, no entanto, que 'nem Pelé era insubstituível'

da Redação

27 de maio de 2008 | 16h09

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não poupou elogios a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva na posse do novo ministro, Carlos Minc. Chegou a compará-la a Pelé. Em tom de brincadeira, Lula comentou a grande exposição de Minc na imprensa: "Minc falou em uma semana mais do que Marina em cinco anos". Os presentes na cerimônia caíram na risada. Se dirigindo a Minc, Lula argumentou, no entanto, que nem o jogador é insubstituível.   Marina pediu demissão do cargo no último dia 12, após uma série de desgastes no governo.     Veja também: Desenvolvimento não significa destruir a natureza, diz Lula Minc deve propor mudanças nos licenciamentos ambientais Ouça a íntegra da entrevista à rádio Eldorado  Minc defende Forças Armadas em parques e reservas da Amazônia Veja os ministros que deixaram o governo Lula  Especial: Amazônia - Grandes reportagens  Saiba quem é Carlos Minc, chamado para o lugar de Marina Do seringal ao ministério: a trajetória de Marina      Lula disse também que reserva para Marina "o mesmo carinho e respeito" da época de militância de ambos no PT antes de chegarem ao governo. "Tem quem escreveu que a relação Marina-Lula estivesse abalada, mas, mesmo nos momentos de maior divergência, a nossa amizade permaneceu inabalável", afirmou o presidente. "A única que coisa que não podemos aceitar é que haja uma briga entre o presidente e a ministra", completou.   O presidente falou que conhece Marina e Minc há 30 anos e disse que nem ela é uma ambientalista radical e nem ele é um "carioca que quer destruir a Amazônia". Lula acrescentou que ao longo de cinco anos e meio de mandato foram cometidos muitas injustiças contra Marina. "Eu li poucas colunas falando bem da Marina (quando ela era ministra). Só via falando mal. E depois que ela anunciou que iria sair, algumas pessoas resolveram falar dela o que poderiam ter falado antes", disse o presidente. Na seqüência, ele afirmou que não tem depressão. "Às vezes fico deprimido. Mas o meu analista é o dia seguinte", citou.   Lula  lembrou o convite a Marina para ocupar a pasta. "Eu não tenho depressão, mas às vezes fico meio deprimido, não fico de analista,nem nada, meu analista é o dia seguinte, é a verdade que demora um pouco mais uma hora aparece. Convidei ela para ser ministra porque confio na trajetória dela", disse.   Durante a posse, o presidente não poupou os ex-governos e disse que as coisas não "aconteciam porque os ministros pensavam diferente". "O que era grave nos governos que passaram por aqui era que havia  ministros que pensavam diferente e as coisas nunca aconteciam. A política ambiental do governo é aquela que me fez ganhar as eleições e ela tem que ser cumprida", disse.   Lula encerrou a cerimônia ao desejar boa sorte ao ministro Minc. " "Eu sei do tormento que você, Marina, viveu. E sei do tormento que você, Minc, vai viver", disse.   "Eu quero desejar a você, toda sorte do mundo. E quando tiver duvida, converse com a Marina porque tenho certeza que ela será sua parceira", concluiu, arrancando aplausos da platéia.     (Com Leonencio Nossa e Leonardo Goy, de O Estado de S.Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.