EFE/SeaWorld
EFE/SeaWorld

SeaWorld anuncia nova experiência de contato 'mais natural' com orcas

Empresa de parques temáticos acabou com a criação dos animais depois de críticas; orcas, porém, não foram devolvidas à natureza porque, segundo a instituição, não se adaptariam

O Estado de S.Paulo

11 Julho 2017 | 22h13

A empresa de parques temáticos SeaWorld anunciou nesta terça-feira, 11, a criação de uma nova experiência para seus visitantes, oferecendo a eles a possibilidade de um encontro próximo com as orcas que ainda vivem em seus tanques em Orlando, na Flórida.

A SeaWorld havia anunciado anteriormente que não liberaria os cetáceos, porque, segundo a avaliação da empresa, já não podem se adaptar à vida selvagem.

O "Killer Whale Upclose Tour", um passeio de 45 minutos de duração descrito como mais "natural" e "nunca antes oferecido", inclui ensinamentos sobre o cuidado, a vida e a personalidade das orcas, assim como uma aproximação dos cetáceos junto com seus treinadores.

Durante o tour, que estará disponível todos os dias da semana, os treinadores compartilharão com os visitantes histórias e informação sobre as orcas.

Esta nova atração chega em um momento em que a empresa vê uma diminuição em seus lucros, que caíram de cerca de 220,2 milhões de dólares durante os primeiros quatro meses de 2016 para cerca de 186,4 milhões no mesmo período deste ano, segundo informe financeiro de maio.

Em 2016, a SeaWorld anunciou que acabaria com a criação de orcas tanto em seu parque de San Diego (Califórnia) como em Orlando (Flórida), após a estreia do documentário "Blackfish", dedicado à orca Tilikum, envolvida na morte de três pessoas.

Tilikum matou em 2010 uma de suas treinadoras, morte que se soma a outras duas nas quais o animal esteve relacionado antes de chegar ao parque de SeaWorld Orlando há 23 anos.

Em março do mesmo ano, a empresa de parques temáticos anunciou que cancelaria seu programa de espetáculos com orcas para se centrar no compromisso de "educação, pesquisa científica marinha e resgate destes animais".

Entretanto, indicou que as orcas de SeaWorld permaneceriam nas instalações dos Estados Unidos, com parques em Orlando (Flórida), San Antonio (Texas) e San Diego (Califórnia), onde protagonizariam "novos e inspiradores encontros" com os visitantes. /EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.