Se não houver acordo, Dilma deve vetar pontos do código, diz ministra

Izabella Teixeira diz que presidente não aceita anistia nem abre mão da recomposição de APPs

Agência Brasil

23 Maio 2011 | 21h20

A presidente Dilma Rousseff está disposta a vetar parte das mudanças no Código Florestal caso o governo não consiga fechar um acordo para votação no Congresso em alguns pontos críticos da proposta de mudanças na lei, disse nesta segunda-feira a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Dilma não concorda com a possibilidade de anistia para quem desmatou ilegalmente e não abre mão da obrigatoriedade da reserva legal e da recomposição das Áreas de Preservação Permanente (APPs).

 

“A presidente não aceita nada que não esteja balizado no compromisso que ela fez na campanha. Não aceita anistia para desmatadores, não aceita degradação de APP e não aceita que não haja recuperação de APP. Se isso eventualmente for aprovado, irá à apreciação dela, eu certamente vou pedir a ela o veto”, disse Izabella após receber um grupo de ex-ministros do Meio Ambiente que querem o adiamento da votação das mudanças no código.

 

Segundo a ministra, Dilma tem sido “muito objetiva” na orientação a integrantes do governo para as negociações antes da votação no Congresso. A votação está marcada para esta terça-feira, mas ainda não há acordo sobre alguns pontos da proposta, relatada pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

 

“O processo hoje é o da negociação política. Conversei com o Vaccarezza [Cândido Vaccarezza, líder do governo na Câmara] e ele me disse que existe uma tendência de votar. Mas se vai votar ou não é uma questão do Congresso. Estamos aqui de plantão, as equipes técnicas estão a postos para interlocução com o Congresso”, disse a ministra.

Mais conteúdo sobre:
código florestal

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.