Stephane Corvaja / Efe
Stephane Corvaja / Efe

Satélite europeu para estudar mudança climática é lançado

Equipamento vai medir a grossura e a superfície da camada de gelos na Antártida e em altas latitudes

Efe

08 Abril 2010 | 14h12

O satélite europeu CryoSat, dispositivo desenhado para estudar a mudança climática, foi lançado nesta quinta-feira, 8, a partir da base de Baikonur, no Cazaquistão, e deve entrar em órbita às 11h13 no horário de Brasília.

 

Veja também:

linkPaíses ricos se reunirão nos EUA para discutir aquecimento global 

linkONU reabre negociação climática; acordo em 2010 é improvável 

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialRumo à economia do baixo carbono   

 

O lançamento ocorreu às 10h57 no horário de Brasília com a ajuda de um foguete russo Dnieper, informou a Agência Espacial Europeia em Moscou. O foguete é um míssil balístico intercontinental reconvertido.

 

O satélite, réplica de um aparelho similar perdido durante o lançamento em 2005, deve se separar do foguete para situar-se na órbita prevista às 11h13, no horário de Brasília.

 

Com 720 quilos, o equipamento funcionará durante três anos, prorrogáveis por outros dois, em uma órbita polar à altura de 717 quilômetros, com 92 graus de inclinação com relação à linha do equador.

 

CryoSat foi criado dentro de programa da ESA "Planeta Vivo" e está destinado para medir a grossura e a superfície da camada de gelo na Antártida, Groenlândia, Islândia e as áreas oceânicas a altas latitudes, assim como para observar geleiras em alto-mar e em terra.

 

Os cientistas acompanharam as mudanças dos campos de gelo para investigar o efeito que tem sobre o aquecimento climático global, segundo a ESA.

 

O lançamento, inicialmente previsto para 25 de fevereiro, foi adiado para melhorar a confiabilidade da manobra de localização do satélite em órbita.

 

O anterior satélite CryoSat foi lançado a partir da base de Plesetsk, no norte europeu da Rússia, em outubro de 2005, mas se perdeu devido a um erro no software do sistema de comando do foguete portador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.