Jacky Naegelen/Efe - 15/12/2009
Jacky Naegelen/Efe - 15/12/2009

Sarkozy, Brown, Merkel e Obama debatem sobre Copenhague

Líderes mantiveram uma videoconferência para fazer balanço sobre as negociações na cúpula climática da ONU

Efe,

15 Dezembro 2009 | 16h04

O presidente da França, Nicolas Sarkozy; o dos Estados Unidos, Barack Obama; o premiê britânico, Gordon Brown; e a chanceler alemã, Angela Merkel, mantiveram nesta terça-feira, 15, uma videoconferência para fazer um balanço sobre a Cúpula das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), realizada em Copenhague.

 

Veja também:

linkSerra e Schwarzenegger enaltecem papel dos Estados na COP

linkDireitos sobre emissões na UE prejudicariam novo acordo

blog Blog da COP: o dia a dia na cúpula

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo   

especialRumo à economia de baixo carbono  

 

A entrevista, anunciada pela Presidência francesa, durou 50 minutos e foi totalmente dedicada ao tema. "Os quatro dirigentes acordaram seguir em contato estreito até que se reúnam com os outros chefes de Estado e de Governo em Copenhague", afirmou o Eliseu, em comunicado.

 

Por outro lado, Sarkozy assegurou nesta terça-feira que existe um acordo entre União Europeia (UE) e África em torno de uma proposta comum que inclui objetivos concretos de redução de emissões de gases de efeito estufa.

 

O presidente francês fez o anúncio no término de um encontro no Eliseu com o primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, que atua como porta-voz de 51 países africanos nos debates sobre as mudanças climáticas.

 

O acordo aborda o compromisso de ambas as partes de evitar que o aumento da temperatura supere os dois graus centígrados, segundo o presidente francês, que considera "crucial" uma aliança com a África neste âmbito.

 

Sarkozy assegurou que também há um acordo sobre a ajuda europeia aos países emergentes para enfrentar a redução das emissões de gases estufa, que o presidente francês cifrou em 10 bilhões de euros anuais até 2012.

 

Esse número, estipulado por Sarkozy e Brown durante a cúpula da Commonwealth, realizada em Trinidad e Tobago em 27 de novembro, deve servir para "financiar ações de adaptação e atenuação" da nova situação, além de fornecer ajudas ao desmatamento. Sarkozy assegurou que os EUA também devem contribuir nessa ajuda. "O presidente Obama falou de seus laços com a África. É o momento de mostrá-los", disse o presidente francês.

 

A COP15 discute a partir desta terça-feira uma nova minuta de conclusões que inclui o estado das negociações. Embora não se trate de um texto final, fontes da UE disseram à Agência Efe que cobre todos os temas debatidos no fórum, como a redução das emissões de gases estufa e o financiamento para combater a mudança climática nos países pobres.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.