São Paulo e Rio participam de mobilização com shows e corridas pela escassez de água

No Brasil, 10% do valor arrecadado nos eventos será doado a ONGs e instituições de caridade

Fernanda Fava, estadao.com.br

16 Abril 2010 | 15h55

Neste domingo, pessoas comprometidas com o meio ambiente em São Paulo e no Rio de Janeiro poderão correr ou caminhar seis quilômetros - distância média que mulheres e crianças precisam caminhar diariamente para obter água em localidades com escassez deste recurso, segundo a ONG Global Water Challenge  - e contribuir para reduzir a escassez de água no planeta. Elas participarão de corridas ou caminhadas da Dow Live Earth Run For Water, que serão organizadas durante um período de 24 horas em 192 países. O evento contará também com shows de música nas duas cidades brasileiras.

 

Em todo o mundo, o evento vai destinar parte da arrecadação a ONGs relacionadas com o problema da água. No Brasil, 10% do valor arrecadado com as inscrições - que encerraram no dia 14 - será doado a ONG Instituto-e, da Osklen.

 

Apesar de não estar diretamente ligada à temática da água, a entidade foi escolhida porque vai destinar a verba para o Fundo de Boas Práticas Socioambientais em Microbacias (Funboas). Criado pelo Comitê de Bacias Lagos São João, no estado do Rio de Janeiro, e apoiado pela WWF, com quem o Instituto-e desenvolve há anos uma parceria, o projeto é um mecanismo de incentivo financeiro a agricultores familiares que preservam o meio ambiente e os recursos hídricos da Bacia Hidrográfica de São João, que abrange 13 municípios fluminenses, entre os quais Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Araruama, Rio Bonito, Cabo Frio e São Pedro da Aldeia. Em outubro passado, o Funboas foi premiado pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos.

 

De acordo com a ONG Global Water Challenge, em 2025, dois terços da população mundial terá acesso restrito à água. A entidade também tem outros dados bem preocupantes sobre o assunto: nos países desenvolvidos, os problemas gerados pelo uso de água não potável pelas pessoas matam mais do que todas as formas de violência, incluindo guerra. A cada semana, 42 mil pessoas morrem em decorrência do consumo de água não potável - 90% dessas pessoas são crianças com menos de 5 anos de idade.

 

Em São Paulo, a corrida terá início às 8h no Jockey Club. São esperados entre quatro e cinco mil corredores. O Jockey estará aberto aos curiosos que quiserem assistir à corrida. O Rio de Janeiro, sede do principal evento da Dow Live Earth Run For Water no Brasil, tem 5,5 mil inscritos, e o início está prevista para as 9h na Praça da Apoteose. Na Cidade Maravilhosa, quem estiver participando da caminhada poderá conferir o show de Jorge Ben Jor às 11h. Só terá acesso ao local quem estiver inscrito.

 

Além disso, localizada junto à largada e chegada, a equipe da Water Village realizará atividades educacionais sobre a água a partir de uma hora antes da corrida. Nela haverá exposições, experiências interativas e ONGs locais incentivando e educando os participantes.

 

Música e mobilização pela internet

Em São Paulo, os shows do Live Earth serão transmitidos pela internet. O evento Friends of Live Earth: Tweet Music será transmitido ao vivo a partir das 19h no site www.bmgv.com.br/tweetmusic/ustream.htm e contará com as bandas de gravadoras que usam a plataforma digital para o lançamento de novos artistas, por meio do formato MP3.

 

Uma das bandas que participa é a Sananda, que desenvolve em suas letras temas como o respeito ao meio ambiente e à natureza, o combate ao aquecimento global e ao desperdício da água. No Tweet Music, o grupo leva a música "Tá Ficando Quente", que também está no álbum homônimo da banda, lançado em 2009.

 

Além das bandas que fazem parte do TweetMusic, o show, dirigido pelo cineasta Pico Garcez, irá contar com vídeo-chamadas de artistas como Consuelo de Paula e Marcelo Quintanilha, alertando a população sobre a importância da preservação da água e contra seu desperdício.

 

O show faz parte do Dow Live Earth Run for Water, que será realizado em diversas cidades com uma série de corridas e caminhadas de seis quilômetros. Argentina, África do Sul,  Estados Unidos, China e Inglaterra são apenas alguns dos países que irão se mobilizar, por meio de arrecadação de fundos a serem distribuídos para ONGs que desenvolvem programas de sustentabilidade em prol da água.

 

Sobre a Live Earth internacional

A Live Earth internacional foi fundada pelo produtor e vencedor do Emmy, Kevin Wall, em parceria com o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore. Uma companhia com fins lucrativos, a Live Earth procura usar o entretenimento para despertar um movimento global destinado a solucionar os problemas ambientais, em parceria com corporações, ONGs e influenciadores políticos e de entretenimento.

A iniciativa começou com um concerto visto ao redor do mundo. Em 7 de julho de 2007, surgiu o "Live Earth: Concertos para um Clima em Crise". Os concertos foram organizados em sete continentes, transmitidos em 132 países, inclusive no Brasil, e inspiraram 2 bilhões de pessoas em todo o mundo a se envolverem com os problemas e as soluções que cercam a crise climática global. Os organizadores do evento reuniram mais de 150 artistas da música, como Bon Jovi, Shakira, Foo Fighters e Madonna. No Brasil, o evento teve a participação de Lenny Kravitz, Xuxa, Jota Quest, Jorge Ben Jor e outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.