Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Samarco inicia obras para criar novo local para rejeitos em Mariana

De acordo com a companhia, obra vai demorar dez meses e deve gerar cerca de 750 empregos; cava terá capacidade para armazenar 16 milhões de metros cúbicos de rejeitos

Rene Moreira, especial para O Estado

02 Outubro 2018 | 13h47

FRANCA - A Samarco iniciou nesta segunda-feira, 1º, as obras em Mariana (MG) para criar um novo espaço voltado ao descarte de rejeitos. Os serviços começaram com a preparação da cava de Alegria Sul, no Complexo de Germano, local onde foi registrado, em 5 de novembro de 2015, o maior desastre ambiental do Brasil.

O impasse sobre o início das obras se arrastava desde o rompimento da Barragem de Fundão, que liberou 32 milhões de metros cúbicos de lama matando 19 pessoas e ocasionando inúmeros prejuízos à natureza.

A nova obra vai demorar dez meses e deve gerar em torno de 750 empregos. Segundo a companhia, a cava fica em um local de contenção seguro e terá capacidade para armazenar 16 milhões de metros cúbicos de rejeitos provenientes do processamento do minério de ferro.

Para viabilizar o empreendimento foi preciso obter licenças do governo estadual e firmar um acordo com o Ministério Público para contratar uma empresa independente que acompanhará todo o serviço. Em nota, a Samarco informou que vai custear toda a auditoria, que "será responsável por atestar a segurança técnica e ambiental" da obra.

Futuro

A companhia esclareceu ainda que a vida útil da cava será de sete anos e que durante esse período "dará sequência ao estudo e apresentação das alternativas de médio e longo prazos para a continuidade de suas atividades".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.