Rússia assegura que ajudará na solução das questões climáticas

Premiê Vladimir Putin diz que país já dá os primeiros passos para passar para a chamada 'economia verde'

Efe,

18 Novembro 2009 | 10h16

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, assegurou nesta quarta-feira, 18, que a Rússia está disposta a participar da solução de problemas climáticos globais e em outros projetos ecológicos, como pede a União Europeia (UE). "A Rússia tem uma natureza diversa e tem um enorme potencial e uma riqueza que nos impõe uma responsabilidade especial com a preservação do equilíbrio ecológico do planeta", afirmou Putin, em discurso em um fórum da Sociedade Geográfica russa.

 

Veja também:

linkEstados Unidos e China agora falam em metas para o clima

linkONU reduz expectativas sobre cúpula climática

linkBrasil acredita em acordo climático em Copenhague 

 

O primeiro-ministro acrescentou que o Governo russo já dá os primeiros passos para passar para a chamada "economia verde" e para o desenvolvimento sustentável, segundo a agência de notícias "RIA Novosti".

 

Em particular, o Executivo apresentou rígidas condições de economia de energia e planeja iniciar uma série de iniciativas ambientais para lutar contra a poluição, para buscar a recuperação dos solos e a proteção dos recursos aquáticos e florestais. "Como todos os países, temos pela frente um longo caminho, mas nos propomos seguir participando ativamente nos esforços internacionais para a solução dos problemas climáticos e em outros projetos ecológicos globais", assegurou Putin.

 

O primeiro-ministro sueco e presidente rotativo da UE, Fredrik Reinfeldt, pediu o mesmo hoje à Rússia: um "papel importante" na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, que será realizada em Copenhague entre 7 e 18 de dezembro. Reinfeldt ofereceu a ajuda dos 27 países-membros do bloco para melhorar a eficiência energética russa e contribuir para reduzir as emissões.

 

O primeiro-ministro da UE, que ontem à noite se reuniu informalmente com o presidente russo, Dmitri Medvedev, e que hoje será o anfitrião da cúpula entre UE e Rússia em Estocolmo, confia em poder alcançar um acordo global no mês que vem, para combater o aquecimento global.

 

Em declarações publicadas no site da Presidência sueca da UE, Reinfeldt lembrou que a Rússia deve comprometer-se a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa e que a Europa pode colaborar com o país para que melhore sua eficiência energética.

Mais conteúdo sobre:
RussiaPutinproblemas climaticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.