Romênia recorre a Exército para resgatar viajantes em nevasca

A Romênia recorreu ao Exército para resgatar centenas de viajantes presos por causa das nevascas que causaram o acúmulo de mais de um metro de neve em 24 horas, descarrilando trens e forçando as autoridades a fechar rodovias e portos e a cancelarem voos.

IOANA PATRAN, REUTERS

26 Janeiro 2012 | 12h41

Equipes da Polícia e da ambulância resgataram 1.300 pessoas até quinta-feira, mas outras 900 pessoas ainda estavam presas em seus carros, afirmou um porta-voz dos serviços de emergência da Romênia. Autoridades proibiram o tráfego nas únicas duas rodovias do país até que o tempo melhore.

"Tudo ao meu redor está branco", disse à Realitatea TV uma mulher, chorando em seu carro. "Estou quase paralisada de frio, sem comida ou mantimentos desde as 16h30 da quarta-feira."

O primeiro-ministro Emil Boc disse que sua prioridade era resgatar os passageiros presos em um ônibus no condado de Giurgiu, na fronteira com a Bulgária.

"Nós usaremos os carros blindados do Exército para salvar vidas", afirmou o primeiro-ministro, em uma reunião de emergência do governo.

Não há previsões de que a queda de neve melhore até quinta-feira à noite, mas meteorologistas dizem que as temperaturas cairão para menos 20 graus Celsius na sexta-feira.

A neve descarrilou um trem que viajava entre o Mar Negro e Bucareste, na manhã desta quinta-feira, mas ninguém morreu ou ficou ferido.

Quase 50 cidades pequenas, em sua maioria no sul do país, e outras 50 na Bulgária ficaram sem energia elétrica após árvores e ventos fortes terem derrubado as linhas de energia.

Em torno de 30 voos locais e internacioais saindo do principal aeroporto de Bucareste foram cancelados enquanto outros foram atrasados por mais de três horas, disse o governo.

(Reportagem adicional de Tsvetelia Tsolova, em Sófia)

Mais conteúdo sobre:
AMBIENTE ROMENIA NEVASCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.