Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Rio vive caos no trânsito

Manifestações e chegada de comitivas provocam tumulto nas ruas da cidade

Marcelo Gomes e Fábio Grellet - O Estado de S. Paulo

18 Junho 2012 | 22h30

O caos no trânsito do Rio, que a prefeitura previa começar na quarta-feira, foi adiantado em dois dias devido à chegada de seis comitivas de chefes de Estado ou de Governo para a Rio+20 e a três manifestações que ocuparam as ruas do centro e do Aterro do Flamengo.

Nesta terça, 19, a situação deve piorar devido à chegada de 50 delegações estrangeiras e à realização de pelo menos uma manifestação, prevista para as 18 horas no centro.

Segundo o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório, duas das três manifestações não foram comunicadas à prefeitura. A outra, embora informada, seguiu trajeto diferente daquele previamente combinado. Ele considera grande a possibilidade de que novas manifestações não informadas à prefeitura sejam realizadas nos próximos dias. “O mundo está de olho no Rio, então é natural que determinados grupos queiram promover atos”, disse.

“Quanto ao protesto que foi comunicado, a prefeitura não concordou, apenas tomou ciência. Havia duas alternativas: mobilizar policiais para impedir o ato ou acompanhá-lo para reduzir os efeitos no trânsito e evitar atropelamentos. Esta foi a opção adotada”, disse Osório.

Nesta terça, 19, a partir das 5h, será implantada uma faixa exclusiva na pista sentido centro da Linha Vermelha, via expressa que liga o aeroporto do Galeão ao centro. A medida se estenderá até as 21h de amanhã. As faixas da orla que normalmente são revertidas pela manhã, para escoar o trânsito da zona sul rumo ao centro, não serão alteradas hoje.

“Tínhamos a informação de que as comitivas chegariam na manhã de quarta, e por isso de quarta até sexta foi decretado feriado escolar e ponto facultativo nas repartições públicas”, afirmou Osório. “Se soubéssemos antes da chegada antecipada, teríamos decretado feriado também na terça.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.