Rio mobiliza mutirões no Dia Mundial de Limpeza

Atividades vão se estender às praias de Copacabana, Ipanema, Leblon, São Conrado, Barra da Tijuca e Grumari

Agância Brasil

17 de setembro de 2010 | 15h40

Rio de Janeiro - O Dia Mundial de Limpeza (Clean Up the World), que ocorre em 125 países neste sábado, será marcado por uma série de ações ambientais na capital fluminense e em outras cidades do estado do Rio de Janeiro. Um mutirão de limpeza, em praias, rios, lagoas e florestas, vai mobilizar ambientalistas, estudantes, voluntários e catadores profissionais de lixo.

 

Na Praia de Copacabana, zona sul do Rio, a secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, e o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Luiz Firmino, participam às 10h da abertura do evento, que tem como meta coletar lixo e conscientizar a população sobre a importância de não o jogar na natureza. Além de toda a orla de Copacabana, as atividades do Dia Mundial de Limpeza vão se estender a outras praias da cidade, como Ipanema, Leblon, São Conrado, Barra da Tijuca e Grumari, e também às baías de Guanabara e Sepetiba.

 

Em outra ação, cooperativas de catadores e equipes de educação ambiental da secretaria e do Inea farão a limpeza do Rio das Pedras, em Rocha Miranda, na zona norte da cidade. O mutirão de limpeza será acompanhado de atividades educativas com moradores e alunos da rede pública da região. O Rio das Pedras é um afluente do Rio Acari, que desemboca na Baía de Guanabara.

 

Na Região dos Lagos, o município de Cabo Frio vai realizar, pelo sexto ano consecutivo, o mutirão de limpeza de suas praias e manguezais. Com a ajuda de voluntários, divididos em duplas, será retirado o microlixo que fica misturado à areia e à água, como bitucas de cigarro, tampinhas de garrafa, lacres de cerveja e copos descartáveis. Na mesma região, Saquarema fará seu mutirão de limpeza, com a participação de moradores e surfistas.

 

Outro município do litoral fluminense, Rio das Ostras, participará pela primeira vez do Dia Mundial de Limpeza. Equipes do Centro Integrado de Convivência e do Núcleo de Educação Ambiental (Neam) da cidade vão promover, com a ajuda de voluntários, uma ação de conscientização e recolhimento de lixo nas praias da Tartaruga e do Centro. No final da ação, todo o lixo recolhido será pesado e colocado numa tenda, onde o público poderá assistir a uma palestra educativa, mostrando quanto tempo cada material recolhido levaria para ser dissolvido na natureza.

 

De acordo com o Instituto Aqualung, que organiza no Brasil o Dia Mundial de Limpeza, peixes, aves, focas, tartarugas e até golfinhos podem confundir os detritos que ficam boiando no mar com alimentos que fazem parte de sua dieta. As pontas de cigarro, por exemplo, item mais coletado em oito anos consecutivos do evento, têm ocasionado a morte de muitos animais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.