Rio, Paris e Los Angeles assinam carta por redução de emissões de CO2

Prefeitos se comprometem a traçar mapa do caminho que permita às metrópoles globais adotarem políticas energéticas e de transporte mais eficientes

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

24 Dezembro 2015 | 15h05

Paris - Os prefeitos das cidades de Paris, Anne Hidalgo, Los Angeles, Eric Garcetti, e Rio de Janeiro, Eduardo Paes, assinaram ontem um artigo conjunto distribuído a jornais de todo o mundo e publicado pelo diário La Tribune, de Paris. No texto, os três prefeitos se comprometem a acelerar políticas de redução das emissões de CO2 na atmosfera por meio de projetos comuns, sejam de curto prazo, como a compra conjunta de lâmpadas mais econômicas, sejam por de longo prazo, como o desenvolvimento de transportes e energias mais eficientes.

Os três prefeitos integram o grupo Cities 40 (C40), criado em 2005 e que hoje reúne prefeitos de 83 metrópoles mundiais com o objetivo de lutar contra as razões das mudanças climáticas. Na prática, a principal missão dos prefeitos do conjunto é reduzir as emissões de gases de efeito estufa, além de criar projetos em comum para ampliar as oportunidades econômicas do desenvolvimento sustentável.

Anne, Garcetti e Paes lembram no artigo que a 21ª Conferência do Clima (COP21) das Nações Unidas atribui às cidades grande papel na luta contra as mudanças climáticas. "No momento em que os dirigentes nacionais começam a se debruçar em busca de soluções para a implementação do acordo, eles deverão uma vez mais buscar respostas junto às cidades", advertem os prefeitos.

As cidades reunidas no Cities 40 somam juntas mais de meio bilhão de habitantes e representam cerca de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Logo, são influentes no que diz respeito ao aquecimento global.

"Nós precisamos acelerar a luta contra as mudanças climáticas muito antes da entrada em vigor do acordo, em 2020", dizem os três prefeitos, que prometem se organizar em programas de compras públicas, adoção de políticas e de 2,3 mil programas que têm como objetivo reduzir as emissões em 450 milhões de toneladas de CO2 até 2020 – o equivalente às emissões do Reino Unido.

Essas medidas custarão US$ 6,8 bilhões. "Da compra de sistemas de ilumina pública em LED em curto prazo, ao desenvolvimento de meios de transporte mais eficazes e à construção de infraestruturas verdes de longo prazo, as metrópoles do mundo se organizam a partir de Paris para estabelecer um mapa do caminho tão preciso quanto possível", dizem os prefeitos.

Os três chefes de executivos municipais também lembram que o Cities 40 está criando um fundo de financiamento de projetos municipais sustentáveis que contará com US$ 1 bilhão nos próximos quatro anos. "Nós estamos convencidos que, se cidades tão diversas como Rio, Paris e Los Angeles podem trabalhar juntas para lutar contra as mudanças climáticas e favorecer um planeta mais sustentável para as gerações futuras, nossas nações são igualmente capazes", dizem os prefeitos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.