Responsável por desastre ambiental pode ser preso na Coréia

Acusado de negligência, capitão do petroleiro ignorou alertas do serviço de tráfego marítimo

Efe,

21 de dezembro de 2007 | 12h50

A polícia litorânea sul-coreana pediu na quinta-feira, 20, a prisão preventiva do capitão do petroleiro que causou o pior vazamento de petróleo na história do país, informa o jornal Hankook Ilbo. O acidente ocorreu porque o capitão ignorou as advertências do serviço de tráfego marítimo e o navio, pelo qual era responsável, se chocou com um cargueiro. As forças de segurança da Coréia do Sul também solicitaram uma ordem de detenção para o capitão do cargueiro e cinco empregados dos dois navios. No dia 7 de dezembro o petroleiro Hebei Sprit, de Hong Kong, e um cargueiro com bandeira sul-coreana bateram no Mar Amarelo, a oito quilômetros do litoral da Coréia do Sul. No acidente, um guindaste do cargueiro perfurou o casco do petroleiro. Com isso, 10 mil toneladas de petróleo caíram no mar, na área do parque nacional de Taean Haean, uma zona turística e Pesqueira. Segundo o jornal sul-coreano, os comandantes dos dois navios cometeram negligência ao ignorar os avisos do serviço de tráfego Marítimo. Aparentemente, cinco horas antes da colisão, o cargueiro sul-coreano recebeu um aviso de péssimas condições para a navegação na área. O Hebei Sprit foi alertado 40 minutos antes do acidente de que um cargueiro se aproximava da sua posição. O volume de petróleo que vazou é superior ao do pior desastre ecológico ocorrido até agora na Coréia do Sul, em 1995, quando 5 mil toneladas caíram no mar.

Tudo o que sabemos sobre:
Petroleirodesastre ambiental

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.