Cristian Negrão/Estadão
Cristian Negrão/Estadão

Resgate de pinguins é recorde no litoral paulista

Oito aves encalharam nas areias de Ilha Comprida e duas foram resgatadas em Praia Grande e Guarujá; apenas neste mês 60 animais foram retirados das águas

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

19 Junho 2015 | 17h37

SOROCABA - Dez pinguins foram resgatados entre a tarde de quinta-feira, 18, e a manhã desta sexta-feira, 19, encalhados em praias do litoral paulista. Oito aves apareceram nas areias de Ilha Comprida, no litoral sul. Outras duas aves foram resgatadas em Praia Grande e no Guarujá. Somente este mês, já são 60 desses animais - um número recorde em anos recentes - retirados das águas por estarem com a sobrevivência em risco. 

As aves são da espécie pinguim-de-magalhães e biólogos atribuem a migração às mudanças nas correntes marinhas vindas do sul do continente, especialmente da região fria da Patagônia, no extremo sul da Argentina. Em Praia Grande, 35 aves apareceram nas praias e precisaram de resgate, já que apresentavam dificuldade para retornar ao mar. Policiais ambientais, com apoio de biólogos que atuam no litoral, resgataram os espécimes. A maioria foi encaminhada para o Instituto Gremar Pesquisa, Educação e Gestão da Fauna, do Guarujá. 

Em Ilha Comprida, o biólogo Cristian Negrão cuida da recuperação de cinco pinguins. Segundo ele, os animais estavam em processo de exaustão e abatidos pela falta de alimentação. Sem energia, eles são empurrados pela correnteza para a praia e ficam encalhados na areia. Assim que estiverem em bom estado, eles devem ser soltos no mar. Uma das aves achada na praia já estava morta. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.