Redução de CO2 da União Europeia ainda está abaixo da meta de Kyoto

As emissões poluentes se reduziram no conjunto da UE 2% em 2008

EFE

02 Junho 2010 | 18h04

Os 15 países da União Europeia (UE) comprometidos com o Protocolo de Kyoto seguem aquém do objetivo de redução de emissões de gases do efeito estufa fixado pelo tratado (8%), já que em 2008 o corte se limitou a 6,5% com relação aos níveis de 1990.

 

EUA preveem aumentar suas emissões de gases do efeito estufa em 4% até 2020

 

Apesar deste ser o quinto ano consecutivo em que as emissões europeias de CO2 caem (uma queda de 1,9% em comparação com 2007), os países ainda estão a 1,5 ponto porcentual de alcançar o objetivo para o período 2008-2012, segundo os últimos dados divulgados pela Agência Europeia do Meio Ambiente.

 

No entanto, o Executivo comunitário se mostrou satisfeito com a redução da última meia década, considerada "significativa" e que situa a UE cada vez mais perto de sua meta, mas ressaltou que os países devem continuar se esforçando.

 

A comissária europeia de Ação pelo Clima, Connie Hedegaard, destacou que "2008 foi só o primeiro ano do período de compromisso de Kyoto" e esclareceu que a redução não se deve só à crise financeira (a economia cresceu 0,6% em 2008), mas também a adoção de medidas ambiciosas.

 

"Nosso objetivo é reduzir as emissões da UE pelo menos em 20% em 2020 comparado com os níveis de 1990 e entre 80% e 95% em 2050. Significa que a transição rumo a uma economia baixa em carbono deve continuar e continuará", acrescentou.

 

A Agência Europeia do Meio Ambiente divulgou também os dados provisórios de redução do conjunto dos 27 membros da UE, embora só 15 países tenham objetivos diretamente vinculados ao Protocolo de Kyoto.

 

As emissões poluentes se reduziram no conjunto da UE 2% em 2008, o que supõe uma queda 11,3% abaixo dos níveis de 1990.

 

O Protocolo de Kyoto não prevê objetivos para os 12 países que se incorporaram por último à UE (entre 2004 e 2007) já que quando o acordo foi assinado eles ainda não eram membros. No entanto, todos estes Estados, menos Chipre e Malta, firmaram compromissos que variam entre 6% e 8% de redução com relação ao ano base.

 

As instalações incluídas no sistema de comércio de direitos de emissão (ETS, na sigla em inglês) que correspondem às indústrias mais poluentes, produziram 2,120 bilhões de toneladas equivalentes de CO2, 43% das emissões totais da União.

 

Os dados definitivos confirmam que estas emissões do sistema ETS foram 3,06% mais baixas que em 2007 e, segundo as primeiras previsões, a CE confia que se reduzam em 11,6% em 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.