AP/Jacques Brinon
AP/Jacques Brinon

Quem é Brigitte Macron?

Primeira-dama da França está casada com Emmanuel Macron desde 2007; Brigitte foi professora de Mácron quando ele tinha 15 anos

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2019 | 12h20

Brigitte Macron, de 66 anos, é mulher do presidente francês Emmanuel Macron, de 42 anos. Os dois se conheceram quando Brigitte tinha 39 anos e Macron, 15 - ela era professora dele. O casal está junto há 12 anos, e Brigitte tornou-se primeira-dama em 2017, quando o marido foi eleito presidente da França com 66% dos votos.

Vinte e quatro anos mais velha do que o marido, Brigitte já estampou a capa de quase uma dúzia de revistas. Ela esteve ao lado de Macron em muitos comícios lotados, enquanto o mundo acompanhava com fascínio o romance.

Brigitte Trogneux nasceu em 13 de abril de 1953 em Amiens, no norte da França - cidade natal também de Emmanuel Macron -, em uma família próspera que dirige negócios de pastelaria e chocolate. 

Brigitte viveu um primeiro casamento, com o banqueiro Andre Louis Auziere, com quem teve três filhos. Era professora de francês, latim e teatro e estava no caminho para uma vida confortável, embora um tanto convencional. 

No início da década de 1990, ela foi surpreendida por um jovem que estava atuando em uma produção de "Jacques e seu Amo", de Milan Kundera. Era Macron. Ela concordou rapidamente quando ele lhe pediu que o ajudasse a trabalhar em um roteiro e, assim, eles começaram a construir um vínculo. 

A professora foi cativada pela inteligência de  Macron. O sentimento era mútuo, e dois anos depois ele fez uma previsão ousada. “Quando tinha 17 anos, Macron me disse ‘faça o que você fizer, eu vou me casar com você!”, contou Brigitte à revista Paris Match, em abril de 2017.

Macron terminou o ensino médio em um colégio de elite em Paris e continuou procurar Brigitte. Aos poucos, conseguiu conquistá-la. Em 2006, Brigitte deixou seu marido e um ano depois se casou com Macron. Mudou-se para Paris, onde ele continuou seus estudos e ela seguiu trabalhando como professora. 

"Quando decido fazer algo, eu faço", disse ela em um documentário sobre o marido. 

Avó de sete netos, ela é descrita como uma pessoa afetuosa e pé no chão pelos que a conhecem, que também destacam seu charme e positividade. 

Brigitte passou a ser citada na última semana, depois que os incêndios florestais ganharam as manchetes do mundo. Macron sugeriu que o G-7 deveria discutir sanções comerciais ao Brasil por causa da alta das queimadas na Floresta Amazônica.

Em um post em que falava da Amazônia, um dos seguidores da página de Bolsonaro postou uma montagem com duas fotos. Na de cima, Brigitte aparece atrás de Macron e, na de baixo, Bolsonaro aparece com a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, à frente. Ao lado das fotos, há um texto dizendo “Entende agora pq Macron persegue Bolsonaro?” A página do presidente da República respondeu ao seguidor com “não humilha cara. Kkkk”.

Na segunda-feira, 26, Macron lamentou os comentários "extremamente desrespeitosos" de Bolsonaro  sobre sua mulher e disse que espera que os brasileiros tenham rapidamente um presidente que "se comporte à altura" do cargo. Nesta terça-feira, 27, jornalistas perguntaram a Bolsonaro sobre o episódio. "Eu não coloquei aquela foto, alguém que colocou a foto lá, e eu falei para não falar besteira. Não queiram falar da questão familiar porque na questão familiar pessoal eu não me meto. Sempre respeito o cara para não entrar nessa área", disse. 

Ainda nesta terça, o escritor Paulo Coelho pediu perdão à França pelos ataques. "Perdão, perdão, mil vezes", disse em vídeo no Twitter. Também no Twitter, internautas passaram a publicar comentários e pedidos de desculpa a Brigitte e às mulheres em geral com a #desculpebrigitte. / COM AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.