Queimadas aumentam 40% em ano seco em SP

De 1.º de janeiro até esta quarta-feira, 6, Inpe registrou 8.647 focos de incêndio no Estado. No mesmo período de 2013 foram 6.154

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

06 Agosto 2014 | 17h23

SOROCABA - O número de queimadas aumentou mais de 40% no Estado de São Paulo neste ano, em comparação com 2013. De 1.º de janeiro até a tarde desta quarta-feira, 6, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registraram 8.647 focos de incêndio em todo o Estado. No mesmo período do ano passado foram registrados 6.154.

O sistema de detecção de queimadas do Inpe detecta focos com frente de fogo a partir de 30 metros de extensão por um metro de largura, mas não identifica o tipo de vegetação queimada.

A estiagem prolongada favorece o surgimento de queimadas, segundo os técnicos do órgão. O mato ressequido e a baixa umidade do ar facilitam a propagação do fogo. O ano de 2014 é considerado, até agora, o mais seco dos últimos 40 anos.

No início da tarde desta quarta-feira, 6, 230 focos estavam ativos simultaneamente em todo o Estado, a maioria concentrada na região norte, segundo os mapas do Inpe. Em Sorocaba, os bombeiros combatiam um incêndio de grandes proporções em uma área verde do Central Parque, zona oeste do município. As chamas tinham consumido grande parte da área de 50 mil metros quadrados. Por causa da fumaça, uma escola de educação infantil liberou os alunos. As casas próximas do fogo foram invadidas por enxames de gafanhotos. Ao mesmo tempo, equipes dos bombeiros combatiam outros focos em São Roque e Araçoiaba da Serra.

Mais conteúdo sobre:
Queimadas Inpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.