Protestos na Europa pedem ação contra aquecimento global

Marchas em Londres e Estocolmo fazem parte de um total de 50 passeatas ao redor do mundo

Jeremy Lovell, da Reuters,

08 de dezembro de 2007 | 16h00

Milhares de manifestantes participaram de uma marcha em Londres e Estocolmo neste sábado, 8, Dia Mundial de Ação contra o Aquecimento Global. A passeata pedia que os governos em todo o mundo tomem medidas urgentes para lidar com o aquecimento global. Carregando faixas com slogans como "corte o carbono, não as florestas" e "ações falam mais que palavras", manifestantes em Londres marcharam em meio à forte chuva e passaram pelo antigo Parlamento até chegar à embaixada dos Estados Unidos. Alguns carregavam foto do presidente norte-americano, George W. Bush, com as palavras "procurado por crimes contra o planeta". Os EUA são o maior emissor de gás carbônico do mundo. A polícia britânica disse que cerca de 2.000 pessoas participaram do protesto. Organizadores disseram que eram 7.000. Na Suécia, a polícia informou que 1.000 pessoas participaram da marcha em Estocolmo. "Eu nunca vi tanto gente em uma manifestação em Estocolmo", afirmou Susanna Ahlfors, de 34 anos, que participou da marcha com seus dois filhos. "Se não fizermos nada agora, as coisas vão ficar realmente ruins. Eu estou preocupada com o futuro deles". As marchas em Londres e Estocolmo fazem parte de um total de 50 passeatas ao redor do mundo programadas para acontecer ao mesmo tempo em que é realizado um encontro de autoridades de meio-ambiente da Organização das Nações Unidas (ONU) e ministros, na ilha de Bali, na Indonésia. No encontro da ONU, as autoridades discutem um sucessor para o protocolo de Kyoto, que prevê o corte nas emissões de carbono.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.