Professor da USP quer erradicar o uso do copo plástico no câmpus Leste

O vice-coordenador do programa USP Recicla na USP Leste se orgulha de dizer que os 5 mil alunos matriculados na instituição não usam mais copo descartável no câmpus: recebem uma caneca no início do curso e andam com ela o tempo todo. Mas sabe que isso é apenas uma parte do trabalho para melhorar o planeta.

Karina Ninni,

22 Dezembro 2010 | 00h07

 

“Essa geração é mais consciente em termos ambientais, mas ao mesmo tempo tem sentimentos complexos com relação à sustentabilidade. Eles aderiram totalmente à ideia da caneca, mas vão para a faculdade todo dia de carro, geralmente sozinhos. As pessoas reciclam lixo, mas não abrem mão do carro. Acredito que isso se dá porque, ao mesmo tempo em que existe uma tremenda propaganda por atitudes mais verdes, o apelo pelo consumo continua firme e forte. Isso gera um sentimento contraditório.

 

Eu moro na zona oeste e vou para a USP Leste de transporte público. Pego trem, ônibus e metrô. Levo duas horas para ir e duas para voltar. Se fizesse isso de carro, demoraria no máximo 40 minutos. Eu viajo muito de avião, pois sou estrangeiro (argentino). A cada vez que pego um voo penso nisso: meu impacto para o ambiente é grande.

 

Sempre teremos em nossas vidas algum tipo de consumo que poderia ser evitado, um comportamento que poderia produzir menos impacto. A culpa e a responsabilidade são sentimentos conectados.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.