Divulgação
Divulgação

Primeira chimpanzé beneficiada com habeas corpus viaja para SP

Cecília, de 19 anos, vivia no zoológico de Mendoza, na Argentina; direito obtido na Justiça libertou o animal de cativeiro precário

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

04 Abril 2017 | 21h44

SOROCABA - A chimpanzé Cecília, de 19 anos, que vivia no zoológico de Mendoza, na Argentina, desembarca nesta quarta-feira, 5, no Brasil e, no mesmo dia, deve seguir do Aeroporto de Guarulhos para sua nova casa, no Santuário de Grande Primatas de Sorocaba, interior de São Paulo. O mantenedor do santuário, Pedro Ynterian, considera a data histórica: Cecília é a primeira chimpanzé no mundo beneficiada por um habeas corpus, instrumento jurídico até então exclusivo para humanos, que a libertou de um cativeiro precário e deu a ela o direito de viver em condições mais dignas.

O pedido foi feito à Justiça argentina pela Associação de Funcionários e Advogados pelos Direitos dos Animais (Afada) daquele país. O argumento usado, de que o chimpanzé é um sujeito de direitos, e não um objeto para ser mantido em condições de cativeiro muito ruins, foi acatado pela juíza Maria Alejandra Mauricio, do 3º Juízo de Garantias de Mendoza. Ao final do processo, que durou um ano e meio, a juíza autorizou a transferência de Cecília para o santuário brasileiro.

A decisão só não foi totalmente inédita porque, ano e meio antes, outra juíza argentina tinha dado decisão semelhante em favor de um orangotango. Ynterian conta que outras tentativas de libertação de grandes primatas de cativeiros inadequados no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa, por meio de habeas corpus, já foram feitas, mas não tiveram sucesso. Cecília é a única sobrevivente de um grupo de chimpanzés do zoo de Mendoza, mas seus companheiros Charly e Xuxa morreram num curto intervalo de tempo. Sozinha, nas condições precárias em que se encontrava, teve piorado seu estado físico e mental.

No santuário de Sorocaba, ela passará por um período de quarentena e será introduzida num dos grupos de mais de 50 chimpanzés que vivem no local. Cecília seguia nesta terça-feira de Mendoza para Buenos Aires, de onde embarcará, na manhã de quarta, em avião da Lan Chile com destino ao aeroporto de Guarulhos. Uma delegação do Ecoparque de Mendoza e da Secretaria de Meio Ambiente da província argentina viajam com a chimpanzé. Após a chegada, serão cumpridas as normas do Ministério da Agricultura e da Receita Federal para oficializar sua permanência no Brasil. A previsão é de que, no mesmo dia, Cecília siga de caminhão para o santuário de Sorocaba.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.