Presidente da Câmara quer iniciar discussão sobre o Código Florestal

Intenção é votar o projeto nesta quarta-feira (4)

Denise Madueño,

03 de maio de 2011 | 15h39

Brasília, 3 - O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), pretende começar a discussão do projeto que muda o Código Florestal em sessão desta terça-feira, 3, para poder votar a proposta amanhã no plenário. Essa será a sugestão que Maia irá apresentar aos líderes partidários em reunião nesta tarde. "Vamos dialogar e dar condições para que o código seja votado", disse. Nesse procedimento sugerido por Maia, o relator, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), apresentaria o seu relatório no plenário para, em seguida, ser iniciado o debate. O prazo para a apresentação de emendas ao texto do relator ficaria aberto até esta quarta-feira, no momento da votação.

Veja também:

documento Íntegra da proposta do Novo Código Florestal

video Contexto histórico do Código

link ''A reforma da lei ambiental foi preparada por leigos, visando o lucro''

link Relator do novo Código Florestal flexibiliza recuperação de mata nativa 

 forum Aldo Rebelo:Código Florestal, o equilíbrio possível

som PLANETA ESTADÃO destaca os entraves no polêmico Código Florestal

lista A polêmica atualização do Código Florestal do Brasil

Marco Maia negou que o governo pretenda atrasar a votação do projeto. Ele conversou no início da tarde com o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, e disse que não houve pedidos de adiamento. "O ministro disse que ainda há pontos a serem ajustados para que o texto fique equilibrado. Ele não disse vote ou deixe de votar", afirmou Maia.

O presidente da Câmara considerou positivo o fato de o texto do relator não ter agradado completamente todos os setores: ruralistas e ambientalistas. "É uma coisa boa. Significa que ele não privilegiou nem defendeu um setor específico. Temos de nos dar conta de que um projeto dessa envergadura não terá consenso absoluto", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Código Florestal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.