Prédio Anhangabaú ganha reforma verde

Gigante de 33 andares erguido nos anos 40 terá novo sistema de energia, água e elevadores

16 Abril 2009 | 21h07

Construído no final da década de 1940, o edifício CBI Esplanada, um gigante de 33 andares com lajes de 1.200 metros quadrados, vai passar por uma reforma. A atual escada de evacuação, em formato de caracol, será substituída por uma pré-moldada de metal, que permite saída mais rápida em caso de incêndio. O prédio ainda ganhará um novo sistema de detecção de fumaça.

 

Veja também:

especial Edifícios ecoeficientes

especial Não precisa quebrar tudo para ser sustentável

especial Conforto ambiental: mudança pode beneficiar a saúde

especial Confira especial sobre sustentabilidade

Como o edifício precisará de uma repaginada, ele ganhará um novo sistema de energia, mais eficiente. Uma barra de cobre vai percorrer todos os andares, como em uma fábrica, e cada um dos inquilinos do edifício poderá usar a potência que desejar, sem sobrecargas. Os elevadores ganharam novas máquinas e cabines, para melhorar o consumo elétrico e suportar o fluxo de 20 mil pessoas por dia.

TERRENO ÚMIDO

Como o CBI Esplanada é tombado, as fachadas terão os aparelhos de ar-condicionado retirados, graças a um novo sistema de água fria que vai se beneficiar da tubulação de gás natural que passa sob o prédio. O solo do Anhangabaú vai contribuir para o consumo inteligente de água. A região era cortada por um rio, hoje aterrado. No entanto, o terreno continua úmido e, escavando em pouca profundidade, é possível encontrar água, que será usada nas bacias sanitárias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.