Christian Charisius/REUTERS
Christian Charisius/REUTERS

Polícia prende 68 durante protesto em Copenhague

Manifestantes interrompem trabalho de grandes coorporações

REUTERS

11 Dezembro 2009 | 16h07

Na primeira grande ação policial desde o início da cúpula do clima em Copenhague, 68 manifestantes foram presos nesta sexta-feira durante um protesto que reuniu centenas de pessoas no centro da capital dinamarquesa.

 

O objetivo dos ativistas era interromper as atividades de 15 lojas e empresas, como a filial do McDonald's na Praça Nytorv e o escritório da multinacional de transportes Maersk. Eles acusam as companhias de serem "criminosos do clima".

 

Veja também:

linkUE acena para corte de 30% em emissões

blog Blog da COP: o dia a dia na cúpula

especialGlossário sobre o aquecimento global

especialO mundo mais quente: mudanças geográficas devido ao aquecimento

especialEntenda as negociações do novo acordo   

especialRumo à economia de baixo carbono 

 

No início do protesto, Os policiais seguiram os manifestantes, que caminhavam pelas ruas da cidade tocando tambores e gritando frases como "É o nosso clima. Não o negócio de vocês".

 

Em seguida, os ativistas se dividiram para ocupar os 15 "alvos". Foi então que a manifestação se tornou mais tensa e 68 pessoas foram presas "por causarem problemas na cidade", segundo o chefe da polícia local, Lars Borg. Ninguém ficou ferido.

 

A polícia acredita que protestos de hoje são uma amostra das grandes manifestações que estão programadas para Copenhague a partir da semana que vem, quando vão ocorrer as discussões finais da cúpula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.