Polícia detém possível organizador de protestos na COP

Alemão Tadzio Mueller, porta-voz da Climate Justice Action, foi detido após anunciar uma nova mobilização

EFE

15 Dezembro 2009 | 16h13

A polícia dinamarquesa deteve nesta terça-feira um porta-voz do grupo Climate Justice Action (CJA) por ser um dos possíveis organizadores dos protestos que nos últimos quatro dias aconteceram em Copenhague por ocasião da Cúpula da ONU sobre Mudança Climática.

 

O alemão Tadzio Mueller, porta-voz da CJA, foi detido por três policiais à paisana quando deixava o local que abriga a cúpula, após participar de uma coletiva de imprensa anunciando uma nova mobilização. No protesto, um grupo de ativistas tentará paralisar as reuniões do evento.

 

Um policial confirmou a detenção de Mueller, que amanhã será entregue à Justiça sob as acusações de agressão a um funcionário público e alteração da ordem pública. O CJA qualificou a detenção como "incrível em uma chamada democracia" e acusou a polícia de "querer calar porta-vozes que criticam as negociações climáticas".

 

Com a detenção de Mueller, somada às de uma australiana e um americano nos últimos dias, a polícia dinamarquesa pretende cercear o movimento de protestos. A polícia informou também nesta terça que 212 pessoas foram detidas esta madrugada durante os distúrbios registrados no bairro de Christiania, onde há antigas instalações militares ocupadas há quase 40 anos por uma comunidade. 

 

Cerca de 500 pessoas percorreram hoje o centro de Copenhague para protestar contra a indústria alimentícia por contaminação, sem que houvesse incidentes violentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.