Polícia Ambiental
Polícia Ambiental

Polícia Ambiental resgata arara-canindé com criador ilegal em SP

Considerada uma das mais belas do Brasil, ave está praticamente extinta no Estado - outros 22 animais foram encontrados

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

21 Julho 2017 | 09h40

SOROCABA - Uma arara-canindé, ave ameaçada de extinção, está entre os 22 animais da fauna silvestre brasileira apreendidos nesta quinta-feira, 20, em um criadouro clandestino, em Pirapozinho, extremo oeste do Estado de São Paulo. Uma equipe da Polícia Ambiental resgatou ainda seis papagaios-verdadeiros, um tucano de bico verde e dois periquitões-maracanã, além de cinco cágados-pescoço-de-cobra e sete jabutis-pirangas.

O dono da propriedade rural foi multado em R$ 15,4 mil e vai responder a processo por crime ambiental.

Um terço do valor da multa, segundo a Polícia Ambiental, se deve ao fato de a arara-canindé estar incluída na lista de animais ameaçados de extinção. Considerada uma das aves mais belas do Brasil, a arara é alvo de traficantes de animais e está praticamente extinta em algumas das regiões, como o Estado de São Paulo.

Como é facilmente domesticável, a ave é procurada para ser criada como animal de estimação. Em criadouros autorizados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a arara-canindé adulta custa em torno de R$ 5 mil. Os animais apreendidos, que eram bem cuidados, foram encaminhados para a Associação Protetora dos Animais Silvestres de Assis (Apass).

Mais conteúdo sobre:
Pirapozinho Ibama São Paulo [SP] Arara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.