Heng Sinith/AP
Heng Sinith/AP

'Pítons mágicas' se casam no Camboja para trazer sorte aos moradores

População, que crê no animismo, acha que as cobras conferem prosperidade e paz aos habitantes

AP

03 Janeiro 2011 | 21h17

CAMBOJA - Centenas de moradores da vila de Svay Rolum, no Camboja, se reuniram nesta segunda-feira, 3, para o "casamento" entre uma píton de 4,8 metros e 90 kg e seu companheiro, ligeiramente menor. Acredita-se que as cobras "mágicas" trazem prosperidade e paz aos habitantes.

A cerimônia de duas horas, no vilarejo 20 quilômetros ao sul da capital, Phnom Penh, terminou com a bênção de dois monges budistas, música de casamento e uma chuva de flores atiradas pelos moradores.

A maioria dos cambojanos, quase todos budistas, também creem no animismo, uma teoria filosófica que atribui alma a todos os seres, inclusive objetos inanimados. Sempre que um animal estranho aparece, é motivo para os supersticiosos comemorarem.

"Casamos essas pítons para pedir saúde e prosperidade à nossa cidade'', disse Neth Vy, proprietário da cobra fêmea, chamada Chamrouen. "Fomos informados (por adivinhos) de que os animais são marido e mulher e precisam viver juntos. Se nós não os casássemos, conheceríamos a má sorte'', contou Vy, que encontrou sua píton enquanto pescava, há 16 anos.

Segundo ele, desde que a serpente se tornou parte da família, suas condições de vida melhoraram e nenhuma desgraça lhe aconteceu.

O píton macho, chamado Kroung Pitch, foi capturado há 12 dias por Hin Mao, uma mulher de 44 anos, sem filhos, que disse considerar o animal como um filho.

Mais conteúdo sobre:
pítonCambojacobrassorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.