Petrobrás suspende prospecção na Nova Zelândia

Ativistas se atiraram ao mar para impedir os trabalhos da empresa

Andrea Vialli com agências,

11 de abril de 2011 | 11h00

A Petrobrás suspendeu ontem uma prospecção de petróleo no litoral norte da Nova Zelândia após ativistas terem se atirado ao mar para impedir os trabalhos da empresa.

A Petrobrás iniciou, na semana passada, uma exploração para localizar reservas de petróleo e gás em uma área de cerca de 12 mil quilômetros quadrados na Bacia de Raukumara.

Desde então, uma frota de cinco embarcações com 50 ativistas a bordo - formada por ambientalistas e indígenas da etnia maori - tem protestado contra a Petrobrás. Eles alegam que a exploração de petróleo trará danos ambientais à região.

"É um ato de defesa de nossas terras e águas, que têm nos dado o sustento há vários gerações", disse Rikirangi Gage, representante dos maori.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrásNova Zelândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.